Missão da NASA que levará mulheres à Lua se chama Artemis; orçamento é divulgado

No século passado, a NASA levou os primeiros homens à superfície da Lua por meio do programa Apollo. Na mitologia grega, o deus Apolo é irmão gêmeo de Artemis — e a missão de 2024, que levará a primeira mulher ao satélite natural da Terra, foi nomeada em homenagem a esta deusa que, justamente, representa a Lua.

"Eu tenho uma filha de 11 anos e quero que ela seja capaz de se ver no mesmo papel que as próximas mulheres que vão à Lua", declarou Jim Bridenstine, administrador da NASA, ao anunciar o nome da nova missão lunar e seu orçamento atualizado.

 

E por falar em orçamento, a agência espacial, junto à Casa Branca, pedem ao Congresso mais US$ 1,6 bilhão para que a missão seja acelerada a fim de cumprir o prazo imposto de 2024. Esse valor extra é solicitado em cima dos US$ 21 bilhões já aprovados anteriormente, quando o prazo da missão estava marcado para o ano de 2028.


Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.

Do valor adicional de US$ 1,6 bi, US$ 651 milhões serão destinados à aceleração do desenvolvimento dos veículos necessários para a missão: o foguete Space Launch System (SLS) e a nave tripulável Orion. O conjunto deve voar pela primeira vez em 2020 (ainda que esta data não tenha sido confirmada de maneira oficial) em caráter de testes, preparando-se para o voo tripulado de 2024 rumo à Lua. Outro US$ 1 bilhão será destinado ao início do desenvolvimento de um novo módulo lunar capaz de transportar os astronautas da órbita para a superfície lunar, e vice-versa.

Quanto à estação Gateway, que será uma estação modular na órbita da Lua e será essencial para que a NASA estabeleça uma presença constante no satélite natural (além de servir como pit stop para futuras viagens espaciais, começando pela ida da humanidade a Marte na década de 2030), Bridenstine disse que, neste primeiro momento, a NASA poderia se concentrar em construir uma versão reduzida da estação, consistindo em apenas um módulo de energia e um pequeno módulo de habitat — e o motivo disso seria uma redução no orçamento para este projeto específico, de US$ 824 milhões anunciados anteriormente, para US$ 321 milhões.

Além disso, outros US$ 132 mi foram reservados para o desenvolvimento de novas tecnologias necessárias para este triunfal retorno lunar, incluindo novos tipos de propulsão e hardware capaz de coletar água da superfície da Lua. E os últimos US$ 90 milhões serão destinados à ciência, com o aumento da exploração robótica nas regiões polares da Lua antes da missão humana.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

via Canaltech

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *