Microsoft Edge usará mesma base do Google Chrome e poderá rodar até no macOS

A Microsoft acaba de confirmar que o navegador Edge vai adotar o Chromium, projeto de código aberto usado no Google Chrome. Além disso, o browser poderá ser instalado no Windows 7 e 8, além do Windows 10; e talvez chegue ao macOS. A empresa diz que isso vai aumentar a compatibilidade com os sites na web. As mudanças começam em 2019.

Joe Belfiore, vice-presidente corporativo do Windows, explica que o Microsoft Edge no desktop vai migrar “para uma plataforma web compatível com o Chromium”. A ideia é oferecer maior compatibilidade com os sites já existentes, e reduzir a fragmentação para desenvolvedores web.

Além disso, o Microsoft Edge será oferecido “para todas as versões suportadas do Windows”, incluindo o Windows 7, 8 e 10. Belfiore também promete atualizações “com uma cadência mais frequente”. E ele diz que o navegador poderá aparecer em outras plataformas, como o macOS.

As mudanças internas no Microsoft Edge chegarão apenas em 2019, então os usuários não verão diferenças por enquanto. A empresa vai oferecer prévias para desenvolvedores web no ano que vem.

“Nossa intenção é alinhar a plataforma web do Microsoft Edge simultaneamente (a) com padrões da web e (b) com outros navegadores baseados no Chromium. Isso fornecerá compatibilidade aprimorada para todos e criará uma matriz de teste mais simples para desenvolvedores web”, escreve Belfiore.

Microsoft Edge responde por 4% dos acessos no desktop

A Microsoft também está ajudando a desenvolver o Chromium: “pretendemos nos tornar um contribuidor significativo para o projeto”, diz Belfiore. Ela vem fazendo contribuições (commits) para que o navegador seja compatível com o Windows 10 em processadores ARM.

A empresa diz que a mudança reflete sua maior participação na comunidade de código aberto. Ela é integrante da Linux Foundation; licenciou 60 mil patentes de graça para Linux e Android; e criou uma distribuição própria do Linux para seus serviços na nuvem.

No entanto, é notório que o Microsoft Edge nunca se tornou amplamente usado. Ele responde atualmente por apenas 4% dos acessos no desktop, segundo o StatCounter, contra 72% do Chrome. É mais um sinal de que o Google venceu a guerra dos browsers.

Com informações: Microsoft.

Tecnocast 070 – É o fim da guerra dos browsers?

Em um passado muito distante (pelo menos em anos de internet), um dos passatempos preferidos dos aficionados por tecnologia era testar vários navegadores diferentes e torcer pela dominância do seu predileto. Navegador (assim como antivírus e sistema operacional) era como time de futebol: você escolhia um e o defendia até o fim.

Mas, segundo Andreas Gal (ex-CTO da Mozilla), esses tempos ficaram para trás. O Chrome não só venceu, como é bem possível que todos os seus concorrentes estejam mortos em dois ou três anos (menos o Safari). Será? Dá o play e vem com a gente!

Microsoft Edge usará mesma base do Google Chrome e poderá rodar até no macOS

via Tecnoblog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *