Amazon oferece pagamento adiantado a editoras brasileiras perante a crise

Tudo sobre

Amazon


A Amazon está disposta a antecipar pagamentos para as editoras de livros no Brasil. A decisão surge em meio a um cenário delicado para o mercado nacional, poucos dias depois de as Livrarias Saraiva e Cultura anunciarem pedidos de recuperação judicial.

A proposta chegou às editoras através de um e-mail assinado pelos executivos da Amazon no Brasil Mario Meirelles e Ricardo Garrido. No texto, eles citam uma lista de iniciativas para que seja possível a “continuidade da produção editorial e o equilíbrio dos fluxos de caixas”.

O primeiro item da lista fala sobre o adiantamento de recebíveis. “Podemos realizar pagamento antecipado de seus recebíveis com a Amazon em taxas mais baixas do que as de mercado”, diz a carta.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Na sequência, a Amazon pede para que as editoras não cancelem ou adiem lançamentos sem antes entrarem em contato com a empresa.

“Podemos considerar volumes que justifiquem a produção, com ou sem exclusividade, e podemos viabilizar esses títulos através de e-book, dando destaque a lançamentos com menor investimento em impressão e distribuição. Lembramos que contribuímos com a lista da Veja combinando os títulos vendidos nos dois formatos, portanto essa é uma ótima opção para manter a relevância de lançamentos para seus clientes com menor custo operacional”.

A empresa também fala sobre a aquisição e conversão de fundo de catálogo, afirmando que é possível que seja feita a avaliação conjunta da “compra de livros em versão física e um pacote de conversões de livros de fundo de catálogo da editora para e-book”. Outro ponto comentado pela Amazon é a compra de devoluções, com a gigante varejista afirmando que pode revisar e realizar a compra de parte do inventário que tenha sido devolvido pelo mercado.

O quinto item da carta fala sobre o programa de associados.

“Oferecemos a nossos parceiros a remuneração de um percentual das vendas geradas pelo direcionamento do tráfego. Sabemos que é uma preocupação das editoras ajudar seus leitores a saber onde os livros estão disponíveis; esse programa não só ajudará nisso, mas também tem potencial para contribuir para as receitas da editora”.

Para finalizar, a companhia conta que o programa de assinatura de e-books pode ser um complemento para a receita da editora com o uso de títulos de fundo de catálogo. “Podemos negociar, na adesão da editora ao programa ou na adição de novos títulos, um valor fixo adiantado para um grupo de títulos por um período determinado”.

A Amazon, portanto, pede que, caso haja interesse das editoras em alguns dos itens, ela seja contatada para negociação.

Fonte: Publish News, IDG Now

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *