SpaceX acredita que diminuir a órbita de seus satélites pode ser mais seguro

A SpaceX quer que seus satélites fiquem mais próximos da Terra. A empresa entrou com um pedido no Federal Communications Commission (FCC) para que seus satélites Starlink possam ficar em órbita 600 quilômetros abaixo da projeção inicial. Ao todo, ela pretende enviar 12 mil satélites para cobertura de internet, dos quais 1.500 ficariam nesta nova faixa de altitude.

Segundo a companhia, fazer estes satélites ficarem mais perto da Terra pode tornar mais seguro o ambiente espacial, já seria mais barato e fácil para retirá-los do espaço quando deixarem de funcionar. Isso porque, como estão mais próximos da atmosfera, devem ser bombardeados e destruídos mais facilmente por ela quando ficarem sem energia. Vale lembrar que um aparelho em órbita está em eterna queda, de forma que ficar sem combustível significa que ele deve cair em nosso planeta em algum momento.

O envio dos satélites Starlink será feito de maneira gradual. O FCC já aprovou que a empresa envie 4.425 aparelhos a uma altura entre 1.110 e 1.325 quilômetros, mas este novo pedido pede que 1.584 possam operar a 550 quilômetros da Terra. A empresa também quer testar esta mudança para tentar economizar no projeto. Com o aparelho mais perto, é possível que cada satélite consiga cobrir uma região maior — e só esta descida de 600 quilômetros pode economizar 16 satélites para a SpaceX.

Quando a companhia também fez o seu primeiro pedido de operação ao FCC, ganhou permissão com a ressalva de ter de enviar um plano sobre como faria o “de-orbit”, ou seja, a retirada do aparelho da órbita quando não é mais utilizável. Há também a suspeita de que a SpaceX tenha já testado a ideia com dois de seus primeiros satélites lançados em fevereiro deste ano: os TinTin A e B. A ideia era que eles fossem lançados em cerca de 500 quilômetros da altitude para testar todos mecanismos e sensores. Depois, eles seriam erguidos para cerca de 1.125 quilômetros, mas isso nunca foi feito pela SpaceX. Pelo contrário, os relatórios obtidos pelo Space_Track.org mostram que estão descendo cada vez mais.

A suspeita fica ainda mais clara pois a SpaceX usou as análises com estes dois modelos para justificar o pedido para que os outros satélites possam ficar também na mesma altitude. Os primeiros lançamentos da SpaceX com o projeto do Starlink devem acontecer somente no ano que vem, sendo que deve demorar ao menos 6 anos para colocar todos os 12 mil aparelhos em órbita. Para lançar já os primeiros, com alguns já na órbita mais baixa, a SpaceX ainda precisa da aprovação do FCC.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *