O casamento perfeito entre BI e Inteligência Artificial

*Por Alessandra Martins

“O melhor ainda está por vir”, a frase que marca o brinde dos noivos em muitos casamentos também se aplica à BI e IA – as tecnologias que uniram forças para empoderar empresas com uso de dados. Ao ajudar na tomada de decisões de negócios e permitir a competição no mundo digital em mais alguns aniversários, a IA deve ultrapassar os limites do tradicional BI e transformar a ferramenta que, praticamente, entrega relatórios padronizados, em uma solução para tomadas de decisões importantes de negócios baseadas em dados.

O motivo é que as indústrias de BI e Analytics estão passando por uma nova onda de disrupção por causa da Inteligência Artificial e Machine Learning, e isso foi destacado no Gartner Data & Analytics Summits que aconteceu em Sydney, Dallas e Londres. No estudo apresentado ano passado, o ‘Augmented Analytics’, ou a Análise Aumentada, como o Gartner chama, foi apresentada o futuro da análise de dados, pois na prática, é capaz de automatizar os insights usando machine learning e geração automática de texto. No evento, empresas novas e antigas demonstraram que a IA quando influenciada por essas análises, como a linguagem de processamento natural (NLP, em inglês), pode recomendar insights até em forma de texto.

Assista Agora: Nunca mais contrate funcionários para sua empresa! Comece o ano em uma realidade completamente diferente!

É essa linguagem de processamento natural que permite aos usuários de ferramentas de BI e Analytics criar relatórios usando comandos de voz, fazer perguntas e até mesmo declarações. Os insights gerados vão além de fazer recomendações de ‘pré-formatadas’ aos usuários. É possível prover dados adicionais, pois ferramentas assim contam com a inteligência para responder a questões importantes sobre os negócios e produtos, sem exigir muito do usuário.

Essas narrativas são automatizadas e usam a linguagem natural para fornecer uma resposta baseada na análise de dados. Por exemplo, para o questionamento sobre as vendas, o sistema de BI pode adicionar textos descritivos como “Esse trimestre a receita foi de X, um aumento de Y porcento se comparado ao trimestre anterior. Dessa forma, a receita do próximo trimestre será de $Z.” E já existe um número considerável de empresas usando ferramentas que perguntam às máquinas para conseguir as respostas de forma mais rápida.

Saltando da era dos relatórios para a dos insights

Mesmo com tantos exemplos impressionantes sobre essas tecnologias, o BI ainda exerce a função antiga de criar e gerar relatórios nas empresas, e o problema está na falta de análise de dados. Os usuários de negócios e executivos não têm muita paciência e querem respostas rápidas. Uma prova disso é que quanto estão falando no celular querem ter acesso a respostas estratégicas, quase de imediato, como: quantas unidades é possível solicitar, quantos profissionais precisam contratar, expectativa de receita em determinados produtos, e assim por diante.

Essas questões são apenas uma indicação de como a IA pode direcionar mudanças transformacionais no mundo do BI e analytics. Ao fazer isso, a tecnologia da IA pode fazer o BI se tornar, verdadeiramente, inteligente.

Em uma pesquisa recente chamada “IA desbloqueia a inteligência dos negócios em BI: acabe com os gaps com BI que permite IA”, a Forrester Research prescreve o caminho para usar IA para melhorar o BI. Boris Evelson, VP/analista principal da Forrester, destaca seis formas para que as empresas usem técnicas de IA e ferramentas para aproveitar ainda mais o valor do BI, potencializar com uso de dados que vão além da armazenagem, automatizar tarefas de preparação de dados, interagir com computadores de forma mais natural, coginitiva, democratizar o uso de analytics avançado, usar machine learningpara guiar a descoberta de insights e potencializar todos os dados – não apenas dados estruturados para insights.

Soluções de BI e Analytics podem entregar essa lista ambiciosa de capacidades bem posicionadas para atender a alta expectativa para usuários de negócios, e definitivamente tirar a fama do BI de ser uma ferramenta apenas para geração de relatório e transformá-lo em algo mais preditivo, capaz de até ‘prescrever’ o futuro. Ao invés de oferecer ferramentas de análises para gerar relatórios, as plataformas de analytics e BI aumentada por IA permitirão que os executivos possam fazer perguntas usando a linguagem de negócios do dia a dia, e receber recomendações sobre possíveis ações.

O BI precisa da IA

Na maioria das empresas, o acesso de dados é um fato. 72% dos dados globais e mercado de decisões analíticas afirmam que é preciso acessar os dados para obter insights de forma rápida. De acordo com o estudo Global Business Technographics Data and Analytics, de 2017.

No entanto, até a mais moderna ferramenta de BI que pode tornar os dados mais acessíveis, ainda necessitam de um expert no assunto para encontrar odado certo, perguntar a questão certa e interpretar os resultados corretamente, a fim de atingir resultados de negócios tangíveis. A pesquisa Global Business Technograph survey afirma que grande parte dos tomadores de decisões de dados e analytics estão 52% do lado do negócio e 63% da tecnologia e que eles planejam contratar pessoas com habilidades de dados avançadas para apoiar as empresas nas inciativas direcionadas à dados. Mas, até com esses especialistas em dados o desafio de navegar e interpretar os dados é existente.

A Forrester aponta que acessar os dados não é suficiente. Ainda é preciso das habilidades dos especialistas para escolher o dado correto e fazer perguntas, e a IA tem um papel importante em identificar o dado correto e surgir com resultados relevantes para todos os acionistas dos negócios. Essa abordagem reduz a barreira de entrada para o BI, permitindo alcançar analistas experientes em dados e apoiar um público de negócios mais amplo.

Não há dúvidas, portanto, que a IA-aumentada “analitcs inteligente”, que usa a rede de dados em conjunto e permite que os insigths para os usuários sejam rápidos, é a próxima onda da disrupção na indústria de business intelligence. Para os usuários de negócios, essa trajetória de inovação é ampla, e uma prova disso é que, de fato, o melhor ainda está por vir.

* Alessandra Martins é Manager Director da Infor Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *