Múmia mais velha do mundo era nativa americana, dizem cientistas

A múmia mais antiga do mundo é indígena, americana e corresponde a um homem de aproximadamente 40 anos à hora de sua morte. A conclusão veio por meio de uma nova análise conduzida por cientistas, que constataram que o indivíduo pertenceu à tribo norte-americana Fallon Paiute-Shoshone, que manterá os restos da múmia enterrados nos limites de suas terras.

A origem da “Spirit Cave Mummy” (“Múmia de Spirit Cave”) era um ponto de grande e acirrada contestação entre as tribos nativas das américas e antropólogos. Originalmente descoberta em Spirit Cave, no estado norte-americano de Nevada, no ano de 1940, a múmia havia sido realocada para o museu estadual local. Em 1996, uma análise de datação em radiocarbono determinou que ela tinha aproximadamente 9.400 anos.

A múmia de Spirit Cave é a mais velha do mundo, com 9.400 anos, e, em vida, era um homem nativo americano de cerca de 40 anos de idade (Foto: Flickr)

Desde então, a tribo Fallon Paiute-Shoshone vinha tentando repatriar e enterrar os restos mortais segundo seus ritos de passagem, mas teve seu pedido de acesso ao corpo inicialmente negado pelo Estado. Após obter permissão da tribo, porém, o professor de Ecologia e Evolução da Universidade de Cambridge, Eske Willerslev, conduziu em 2016 uma análise genética que comprovou a posição da múmia como um ancestral da tribo, já que seu DNA o colocava em proximidade com indivíduos ainda vivos dos Fallon Paiute-Shoshone. Só então o corpo foi devolvido aos americanos nativos.

Assista Agora: Saiba quais são os 5 maiores problemas das empresas brasileiras e comece 2019 em uma realidade completamente diferente.

A pesquisa é parte de um estudo ainda maior da universidade, que está analisando os traços migratórios de tribos nativas das Américas na antiguidade.

Fonte: Early human dispersals within the Americas (Estudo)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *