Por que ninguém achou a tela flexível legal? E por que de fato ela é?

Ontem a Samsung mostrou ao mundo sua tela flexível. Não, não é a primeira a ser mostrada. Não é nem a primeira a ser oficialmente comercializada. Fato é que foi muito difícil ver alguém realmente achando isso algo legal ou animador no mundo mobile. Mas será que é algo tão tedioso assim?

Cadê o aparelho?

Um dos principais motivos para tanta reclamação e pouca animação foi o fato de que na SDC2018, conferência da Samsung para desenvolvedores, a empresa mostrou “apenas” a tela e sua suposta interface. As pessoas estavam atrás, mesmo, era do tão falado Galaxy F, Galaxy Flex, Galaxy Folder ou qualquer outro nome com F.

Porém, na apresentação, bem escura, a Samsung deixou claro que não queria mostrar o aparelho, que provavelmente é apenas um protótipo bem cru, e sim a tela e sua interessante capacidade dobrável. Mas a expectativa do público colidiu com o que foi apresentado, e choveram críticas a um aparelho que sequer foi apresentado.

sdcssams
No escuro, para não dar destaque para o aparelho / © Samsung/AndroidPIT

Isso não é novidade

Apesar de termos tido recentemente o lançamento do FlexPai, primeiro smartphone com tela dobrável, e de termos visto a apresentação da Samsung, uma tela dobrável não é exatamente uma novidade para nós.

É seguro dizer que há mais de uma década vemos protótipos desse tipo de display em CES e MWCs por aí, e apesar de nunca termos visto um uso melhor do que no impopular LG G Flex, já cansamos de ver essa “novidade” por aí. 

lg g flex 2 vs samsung galaxy note 4
LG G Flex já trazia um display flexível / © LG, Samsung, ANDROIDPIT

Um produto de elite

E além de cansados, sabemos que, ao menos por enquanto, esse é um recurso que só vai estar disponível em aparelhos muito longe do alcance da maioria da população, sobretudo no Brasil. Na Ásia essa ainda é uma feature cara, e já podemos esperar o suposto Galaxy F e os predecessores de outras marcas com aparelhos bem acima dos mil dólares.

Mas então, por que comemorar?

O quanto você está farto de smartphones retangulares com cantos ligeiramente arredondados e uma tela com bordas finas na frente? Vocês eu não sei, mas eu não aguento mais ver aparelhos muito similares sendo lançados uns atrás dos outros, só mudando a marca.

flexpai 3
FlexPai é só o começo / © Royole

Uma hora as telas flexíveis provavelmente serão populares, menos caras entediantes, mas por enquanto, junto com outras novidades, está marcando uma mudança de paradigma no mercado. Um exemplo disso é o Nubia X, smartphone que traz uma tela grande em sua traseira e que vendeu 100 mil unidades em alguns minutos essa semana. É o diferente que queremos.

Queremos realmente fazer mais coisas com o smartphone. As telas estão crescendo demais, alguns smartphones já se parecem tablets e estão ficando destrambelhados. Como aumentar a produtividade, como ser realmente multitarefa, sem um aparelho desengonçado. A tela flexível é uma das respostas.

Creio que entre 2019 e 2020 nós iremos ver as outras peças desse novo desenho. O FlexPai ainda é muito grosso, o suposto Galaxy F também pareceu. Ainda é preciso aparar muitas arestas, mas finalmente estamos vendo aqueles smartphones diferentes que víamos apenas em vídeos e imagens de entusiastas que sabem mexer no Photoshop ou em programas 3D.

Está mais animado para o futuro dos smartphones?

via Notícias do Android + Análises de Apps – AndroidPIT

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *