Nikola apresenta a 3ª geração de caminhões semielétricos movidos a hidrogênio

Apesar de não ter muito tempo de mercado, a startup norte-americana de caminhões Nikola Motor Company anunciou nesta semana sua terceira geração de semielétricos movidos a hidrogênio para a Europa, Ásia e Austrália. Os novos modelos, intitulados Nikola Tre, possuem uma aparência muito diferente de seus dois predecessores norte-americanos, mas a companhia afirma que ainda entregará especificações semelhantes.

Os motores elétricos são alimentados por uma célula de combustível de hidrogênio, gerando até 1.000 cavalos de potência no Tre, além de oferecer vetorização de torque. O veículo poderá viajar entre 500 e 1.200 quilômetros com um único tanque, dependendo de como está configurado. O reabastecimento completo, segundo a Nikola, leva apenas cerca de 20 minutos. O caminhão também contará com sensores que permitirão total autonomia.

Enquanto os Nikola One e Two possuem um estilo visual mais voltado ao aerodinâmico, o Tre se mostra completamente diferente – o que pode ser apenas uma escolha estética ou uma aposta de marketing regional. O veículo começará a ser testado em 2020 e a produção em massa está prevista para 2023. Este intervalo de tempo deverá ser suficiente para a startup para encontrar uma maneira de construir uma rede de postos de abastecimento de hidrogênio para viabilizar a operação do veículo.

Assista Agora: Nunca mais contrate funcionários para sua empresa! Comece o ano em uma realidade completamente diferente!

A Nikola ainda promete mais detalhes sobre o Tre em abril de 2019.

(Imagem: The Verge)

Nikola x Tesla

No início deste ano, a startup processou a Tesla alegando que os automóveis semielétricos da empresa de Elon Musk tinham violado suas patentes. A ação deu algumas idas e vindas em seu caso, com a companhia da veículos da Califórnia constantemente pedindo uma exoneração. De todo modo, independentemente do resultado, os novos caminhões terão seu lançamento programado para uma data um pouco distante de toda essa confusão.

Ambas as companhias automotivas também capitalizaram projetos de transportes, mas com abordagens diferentes para seus caminhões elétricos. A PepsiCo, a Walmart e a Anheuser-Busch apostaram na Tesla e sua proposta de caminhões e terão de adiantar cerca de US$ 20 mil por cada pedido antecipado como uma espécie de caução.

Por outro lado, a Nikola anunciou no início do ano que a Anheuser-Busch encomendou 800 caminhões de hidrogênio. O depósito exigido pela startup obviamente é muito menor, mas a empresa anunciou nesta semana que devolveu quase todos eles. “Você não pode ser ambientalmente sustentável sem ser financeiramente sustentável”, afirmou a companhia em uma clara alfinetada à Tesla.

Fonte: The Verge

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *