Primeiro iPhone com conexão 5G deve chegar em 2020

A Apple deve lançar seu primeiro iPhone com tecnologia 5G em 2020. É o que afirmam fontes ligadas, na verdade, à Intel, que estaria trabalhando para se tornar a única fornecedora de chips da tecnologia para a empresa de Cupertino, tendo o lançamento de smartphones daqui a dois anos como o prazo limite para alinhar seu processo de fabricação de componentes de 10 nanômetros com as expectativas de consumo de energia, temperatura e, principalmente, eficiência da parceira.

Ainda há muito trabalho pela frente, mas os engenheiros da fabricante de chips estariam confiantes quanto à obtenção da meta. De acordo com as informações não confirmadas oficialmente, o modem Intel 8161 já estaria em desenvolvimento de acordo com os pedidos da Apple, uma vez que, em testes, o protótipo atual, conhecido como 8060, não teria deixado a Maçã satisfeita por esquentar demais.

O motivo por trás disso seria o uso de ondas na faixa dos milímetros para as redes 5G, que será utilizado pela maioria das operadoras ao redor do mundo e exige mais processamento por parte dos modems. Com isso, aumenta a temperatura do componente e, no caso do 8060, esse incremento estaria sendo sentido até mesmo no corpo dos aparelhos, algo que não é nada desejável para a Apple. Além disso, a baixa eficiência térmica também aumenta o consumo e reduz a vida da bateria.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Mesmo com essas dificuldades, tanto a Intel quanto a Apple estariam confiantes quanto aos avanços da tecnologia, até porque uma reabertura de negociações com a Qualcomm estaria fora de questão. As duas empresas vêm se digladiando nos tribunais em processos relacionados a patentes e travando uma batalha na mídia, cheia de declarações e bravatas uma contra a outra.

Com isso, o “plano B” da empresa de Cupertino seria uma união à MediaTek, mas somente caso a Intel não chegue a uma solução adequada para os problemas de temperatura até meados do ano que vem. Há tempo, então, para isso, e a ideia é que a parceria firmada em 2015, e que se tornou exclusiva no setor de modems neste ano, não seja modificada por conta da temperatura dos chips.

A Apple também estaria confiando na demora para implementação do 5G como apoio para esse lançamento considerado tardio. Enquanto nomes como Xiaomi, OPPO e Huawei já anunciaram que levarão seus primeiros aparelhos com 5G ao MWC, em fevereiro de 2019, a Maçã, como dito, estaria preparando uma chegada para mais de um ano e meio depois. A ideia é chegar em um momento no qual a tecnologia já esteja consolidada e não mais incipiente, entregando uma experiência mais eficiente e rápida do que os primeiros modelos do mercado.

Se a previsão der certo, seria uma união do útil ao agradável, trazendo justamente aquilo que os usuários vão querer no momento em que o 5G se torna um padrão na maior parte do mundo. Até lá, entretanto, é de volta à prancheta, com tempo para resolver questões, mas não para ficar sossegado, já que, por mais que a Apple e a Intel tenham mais de um ano e meio pela frente, a corrida acontece contra outras fabricantes maiores, principalmente a Samsung, que também enxerga seus primeiros modelos com a tecnologia em um futuro bem próximo.

Como sempre, Intel e Apple não se pronunciaram sobre o assunto. A fabricante de chips disse não comentar sobre rumores ou especulações relacionadas às suas parcerias com fabricantes, enquanto a Maçã manteve seu tradicional silêncio em relação a modelos vindouros de smartphones.

Fonte: FastCompany

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *