Redação do Enem 2018 reflete sobre a manipulação de usuários na internet

Expectativa de muitos estudantes era de que as fake news caíssem no tema deste ano; Entretanto, tema atravessa privacidade online e a GDPR brasileira


O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, cuja primeira etapa é aplicada neste domingo (4), pegou muitos dos estudantes brasileiros de surpresa. A expectativa era que as fake news, uma das grandes pedras no sapato das eleições deste ano, fossem o destino das argumentações dos candidatos à prova. No lugar se deu outra pauta que também foi amplamente discutida em um ano marcado por vazamentos de dados massivos e em que a Lei de Proteção de Dados foi aprovada no Brasil. Segundo informou o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) neste domingo, o tema da dissertação é a “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. As provas começaram às 13h30 e os participantes terão 5 horas de 30 minutos para resolvê-las.

O Inep explica que o texto deve ser dissertativo-argumentativo, com até 30 linhas, e ser desenvolvido a partir da situação-problema e de subsídios oferecidos pelos textos motivadores, sendo que dois deles citaram diretamente “a era dos algoritmos”. O texto precisa ser opinativo e organizado para a defesa de um ponto de vista.  

Se a hashtag #Show dos Atrasados não rendeu muitos memes neste ano, pois felizmente a grande maioria dos alunos chegou no horário certo, o tema da redação do Enem 2018 inspirou reflexões bem-humoradas. 

“O pior desse tema da redação é que é difícil fazer alusão histórica e citar frases de pensadores que encaixem no contexto, eu ia falar logo de Mark Zuckerberg e Steve Jobs”, escreveu o internauta @brenu no Twitter. 

Vazamentos e Lei de proteção de Dados

A “GDPR brasileira” foi sancionada em agosto deste ano pelo presidente Michel Temer e segue os moldes da lei aprovada pela União Europeia. No Brasil, a lei define novas regras para o tratamento de dados pessoais (todas as informações relacionadas à pessoa natural identificada ou identificável), inclusive nos meios digitais, por indivíduos e entidades públicas e privadas e também prevê multas e sanções. Estudantes do Enem atentos às discussões da GDPR e aos vazamentos massivos do Facebook e Cambridge Analytic podem encontrar nesses casos um ponto de partida ou meio para a dissertação. Ao mesmo tempo, quando se vive na “era dos algoritmos” muitas das nossas decisões de compra são pautadas por como plataformas digitais manipulam nossos dados, logo, comportamento online.  

Hoje (4) é o primeiro dia de prova do Enem. Mais de 5,5 milhões de estudantes farão provas de linguagem, ciências humanas e redação em mais de 1,7 mil municípios. O exame segue no dia 11 de novembro, quando serão aplicadas as provas de ciências da natureza e matemática.

A nota do exame poderá ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

 

via IDG Now!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *