UE testa detector de mentira com uso da IA para fiscalizar fronteiras

Um novo e promissor sistema promete identificar com precisão os infratorese agilizar as filas no controle de fronteiras. O iBorderCtrl usa informações de fotos do passaporte, cartão de crédito e prova de fundos, entre outros dados, para avaliar o cidadão via webcam em uma espécie de “detector de mentiras” com uso da inteligência artificial (IA).

Sistema ainda não é 100% confiável e por enquanto está sendo testado em laboratório

O projeto vem sendo testado pela União Europeia e a Polícia Nacional Húngara em um piloto de seis meses, que deve auxiliar os viajantes a entrar na Hungria, Grécia e Letônia. Ao ser avaliado, a pessoa passa por uma bateria de perguntas realizada por um oficial virtual, que fica de olho nas microexpressões faciais para revelar sinais de farsa. Caso haja um positivo nos sinais de lorota ou discrepâncias com a imagem, um agente então faz uma checagem mais aprofundada.

Os guardas terão à mão dispositivos para verificar documentos e fotos automaticamente para os viajantes que não passaram pela peneira, incluindo o acesso ao histórico policial, e só permitirão a passagem após uma verificação biométrica — o que inclui correspondência de rosto, impressão digital e veia da palma da mão. Depois disso, há uma reavaliação dos níveis de risco.

Quem passar pela varredura inicial, só precisa passar pela revisão e apresentar um código QR. Por enquanto, a fase experimental é realizada em laboratório com condições realistas, antes de ser observada em público. Segundo os idealizadores do iBorderCtrl, ele alcançou 76% de precisão e a equipe espera otimizar para 85% — como não é 100% confiável, quem falhar não será impedido de transitar pela região.

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *