Microsoft estaria abandonando coprocessadores da Intel em seus data centers

De acordo com informações publicadas nesta terça-feira (30) pela Bloomberg, a Microsoft estaria substituindo metade dos coprocessadores de seus data centers do serviço Azure por novos chips programáveis da Xilinx.

Até então, a empresa obtinha esse tipo de chip exclusivamente da Intel. Coprocessadores programáveis são usados em conjunto com CPUs tradicionais e servem para desafogar parte do trabalho do chip principal. Com isso, as máquinas se tornam mais eficientes e também mais poderosas.

O mercado de componentes para data centers tem se aquecido exponencialmente nos últimos anos com a consolidação do mercado de computação em nuvem.

Líderes nesse segmento como o Azure da Microsoft, o Google Cloud Platform da Google e AWS da Amazon se tornaram consumidores ferozes de chips e outros elementos para data centers.

Por isso, surgiram empresas como a Xilinx, especializadas em partes muito específicas, como coprocessadores programáveis.

Intel e Xilinx não comentaram o assunto, e a Microsoft negou o rumor à Bloomberg.

xilinx(fonte: hardent)

Para entrar nessa onda, a Intel comprou a Altera em 2015 e tem abocanhado a maior parte desse mercado desde então. A mudança da Microsoft para os componentes da Xilinx, entretanto, pode incentivar as concorrentes a também abandonarem a Intel.

Na Intel, o negócio de chips programáveis trouxe uma receita de nada menos que US$ 496 milhões no terceiro trimestre de 2018, um aumento de 6%. A Xilinx, que só trabalha com esse tipo de chip, cresceu 19% no mesmo período.

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *