Índia pressiona WhatsApp a revelar usuários que incitam violência real

Bem, ultimamente temos exemplos muito próximos de como as fake news e demais campanhas de desinformação podem levar a mal-entendidos e até casos de violência. Essa prática parece ter tomado contornos maiores, ao ponto da situação estar fora de controle na Índia. O governo vê o anonimato oferecido pela criptografia de ponta a ponta na plataforma como uma ferramenta para pessoas agirem de má-fé, provocarem atos violentos e disseminarem a cultura do ódio.

CEO do WhatsApp, Chris Daniels, reuniu-se com o ministro da Tecnologia da Informação da Índia, Ravi Shankar Prasad, em Nova Delhi

A privacidade é uma dos pontos-chave do sucesso do WhatsApp e do Telegram, por exemplo, mas como muitos dos rumores espalhados pelo mensageiro do Facebook são considerados os maiores culpados por linchamentos em todo o país, o governo agora vem pressionando a companhia para que ela revele a identidade das fontes desses conteúdos. Nesta quarta-feira (31), autoridades fizeram um pedido formal por essa informações.

O CEO do WhatsApp, Chris Daniels, reuniu-se com o ministro da Tecnologia da Informação da Índia, Ravi Shankar Prasad, em Nova Delhi. “Sobre a questão da rastreabilidade, enfatizei que, quando falamos em rastreabilidade, não falamos em descriptografar mensagens. Insistimos na localização e identificação do remetente das mensagens, quando as mesmas levam à incitação de violência, crimes hediondos e graves”, afirmou o executivo, após o encontro, em entrevista à imprensa local.

Força-tarefa para resolver a situação deve ser criada até o final do ano

Esse é mais um capítulo da “queda de braço” entre a empresa e o governo, que exige do WhatsApp uma ferramenta para identificar os causadores dos problemas. De acordo com os termos de serviço, a empresa coleta os endereços IP dos usuários, que podem ser usado para rastrear os locais dos usuários e seus números de telefone — e isso não não é uma informação criptografada, como as mensagens.

Para amenizar a situação, um novo executivo indiano deve capitanear uma frente específica para buscar quem gosta de promover agressões por meio do mensageiro. “O WhatsApp está profundamente comprometido em servir o povo da Índia e trabalhar em estreita colaboração com a sociedade civil e os líderes do governo para ajudar a lidar com o abuso em nossa plataforma”, disse um porta-voz.

“Nosso novo chefe da WhatsApp Índia, que será nomeado até o final do ano, construirá uma equipe local que possa atender nossos clientes na Índia, bem como trabalhar com parceiros e líderes do governo para ajudar a manter as pessoas seguras.”

Cupons de desconto TecMundo:

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *