Apple anuncia aumento nos preços dos aplicativos e compras na App Store

Após muito mistério, a Apple revelou, na última terça-feira (30), que o preço do seu Watch Series 4 chegará aos R$ 6.699 no mercado brasileiro. Nesta quarta (31), veio a notícia que os aplicativos, as compras e assinaturas da App Store também terão seus valores reajustados para o Brasil.

De acordo com um comunicado da Maçã recebido pela MacMagazine pelo desenvolvedor Cristian Feldes, que foi reproduzido no Instagram, o reajuste vem para três países: Turquia, Nova Zelândia e Brasil. Os novos preços só serão conhecidos quando a mudança for aplicada na loja, mas acredita-se que a conversão utilizada seja próxima de R$ 3,99 a cada US$ 0,99.

No comunicado ao desenvolvedor, a Apple explica que "quando as taxas de câmbio mudam, às vezes precisamos atualizar os preços na App Store. Dentro dos próximos dias, os preços dos aplicativos e das compras dentro dos aplicativos (exceto as assinaturas auto-renováveis) aumentarão na App Store do Brasil, Nova Zelândia e Turquia", em tradução livre.

Para os desenvolvedores de apps iOS, a Apple informou também que suas receitas serão aumentadas de acordo com os novos preços praticados. A Maçã ainda instruiu aos devs sobre alterações que eles podem fazer nos preços de seus aplicativos e compras internas, incluindo as assinaturas, por meio do App Store Connect. O controle dos desenvolvedores inclui a possibilidade de preservar os preços para assinantes antigos.

A App Store do Brasil começou a cobrar seus produtos em reais apenas em janeiro de 2018, usando uma conversão automática de US$ 0,99 equivalendo a R$ 3,50, quando a taxa de câmbio real aproximada era de R$ 3,30. Segundo as fontes, é razoável assumir que a App Store vá usar a conversão de US$ 0,99 equivalendo a R$ 3,99. A taxa de câmbio oficial do dólar, às 14h desta quarta-feira (31), é de R$ 3,73 para US$ 1, segundo o site de buscas Google.

Não há informações sobre alterações dos preços de outros produtos, como as músicas e filmes no iTunes, livros na iBooks Store e serviços de armazenamento no iCloud, assim como as assinaturas na Apple Music. Possivelmente a Maçã divulgará mais detalhes nos próximos dias.

via Canaltech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *