Brasileiros no Twitter ficaram mais educados com limite de 280 caracteres

Já conhece a nova extensão do

Tecnoblog

?

Baixe Agora

O Twitter adotou, há quase um ano, uma medida inicialmente controversa: aumentar o limite de caracteres de 140 para 280. Os usuários se acostumaram e, coincidentemente, a rede social só teve lucros desde então. Essa mudança também deixou os brasileiros mais educados no geral.

Foto via PixabayFoto via Pixabay

Segundo o Twitter, o brasileiro passou a ser mais gentil na rede social. O uso de palavras como “obrigado/obrigada”, “por favor”, “desculpe” e “agradeço” aumentou cerca de 50%. A comparação foi feita levando em conta tweets de agosto de 2017 e agosto deste ano.

Além disso, como o espaço adicional, os brasileiros usam menos abreviações. O termo “flw” foi 25% menos usado, enquanto “falou” teve um aumento de 75%. “Brinks” teve uma queda de 8%, contra um aumento de 87% da palavra “brincadeira”. O termo “bjs” ficou estável, porém “beijos” foi 27% mais tuitado.

Considerando o mundo inteiro, não só o Brasil, o Twitter se tornou mais conversacional. O número de mensagens com ponto de interrogação (“?”) cresceu 30%. Os tweets também recebem mais respostas, em média — a rede social não menciona a dimensão desse aumento.

Usuários temiam limite maior de caracteres no Twitter

No ano passado, o Tecnoblog fez uma enquete no Twitter perguntando o que os usuários achavam de aumentar o limite para 280 caracteres. Quase 50% acharam isso “péssimo”.

Havia o medo de que esse espaço adicional seria usado para “textões”, ou para tweets com uma palavra por linha. Mas no período de testes, realizado no ano passado, o Twitter descobriu que menos de 5% dos usuários ultrapassavam 140 caracteres, e menos de 2% iam além de 190 caracteres.

Agora, parece que todo mundo se acostumou. O limite é de 280 caracteres em quase todos os idiomas, exceto japonês, coreano e chinês. Você se tornou mais educado no Twitter nesse último ano?

via Tecnoblog

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *