Preso na Inglaterra homem que tentava roubar a Magna Carta

Preso na Inglaterra homem que tentava roubar a Magna Carta

Escrita há mais de 800 anos, documento limitava os poderes da realeza no país. Hoje, só há quatro versões restantes

Por
Guilherme Eler

access_time

26 out 2018, 19h38

 (Julian Elliott / robertharding/Getty Images)

Era o ano de 1215 quando o rei João, da Inglaterra, deu a letra: dali em diante, nenhum monarca teria mais poderes absolutos sobre tudo e sobre todos. Nem mesmo ele próprio. Era esse o conteúdo principal da Magna Carta, documento que extinguia certos privilégios da realeza e obrigava quem usasse coroa a sujeitar sua vontade às leis da época. Ou seja: o poder real seria menor e o povo teria algum respaldo caso caísse na mão de um tirano – algo que era muito reivindicado pela população mais abastada na época.

O documento, escrito há mais de 800 anos, é tido como um dos tratados políticos mais importantes da história britânica. Não é exagero dizer, da história ocidental. Para muito historiadores, a Magna Carta pode ser tida como o pontapé para o longo caminho até o surgimento de uma constituição, e leis que de fato parassem de endeusar europeus de sangue azul.

Redigida a próprio punho, a Magna Carta sobrevive até hoje em quatro versões. Duas delas estão na Biblioteca Nacional do Reino Unido, uma das maiores do mundo, com mais de 150 milhões de itens. As restantes ficam guardadas em igrejas, duas catedrais anglicanas do país: uma na de Lincoln e outra, na de Salisbury.

Na última quinta-feira (25), a última da lista sofreu uma espécie de atentado. A polícia do condado de Wiltshire, a qual pertence a cidade de Salisbury, prendeu um homem suspeito de tentar retirar a carta à marteladas de sua caixa de vidro, onde fica exposta ao público.

O alarme que chamou a atenção dos seguranças da Catedral de Salisbury soou pouco antes das 17h, quando a exposição encerrava ser período de visitação. Todas as pessoas que ainda terminavam o roteiro tiveram de evacuar o prédio. Tudo por que o homem, de 45 anos, havia golpeado com uma marreta o mostruário de vidro onde o documento fica exposto.

Percebendo o escarcéu, o baderneiro tentou fugir, não sem antes travar uma luta com funcionários da Catedral. O grupo de seguranças conseguiu interceptar o suspeito nos jardins da igreja, que ficou imobilizado até a chegada da polícia. Segundo o jornal The Art Newspaper, a polícia procura, agora, por identificar testemunhas da ação.

“Estamos muito aliviados que ninguém se machucou durante o incidente e que a própria Magna Carta, também se manteve intacta. Somos muito gratos a todos que lideram com a situação de maneira tranquila e eficiente” disse a administração da Catedral de Salisbury ,em comunicado. “Lamentamos o fato de que, por enquanto, nossa cópia da Magna Carta não estará disponível para os visitantes. Trabalharemos para que ela volte ao seu lugar o mais rápido possível”.

O documento não foi danificado, e o porquê do dia de fúria do dono da marreta segue sem motivo até agora. Vai ver, era algum herdeiro da coroa frustrado.

via Superinteressante

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *