Retrato pintado por Inteligência Artificial arremata US$ 432 mil em leilão

A pintura Retrato de Edmond Belamy foi a primeira obra de artes plásticas produzida por uma Inteligência Artificial a ser negociada numa tradicional casa de leilões. O trabalho foi desenvolvido por um coletivo de arte pariense chamado Obvious.

O algoritmo foi apresentado a um conjunto de dados contendo mais de 15 mil retratos pintados por artistas dos séculos XVI a XX. Para gerar o Retrato de Edmond Belamy, a IA comparava seu trabalho com as obras de referência e produzia alterações até não detectar diferenças entre sua criação e as obras de grandes pintores do passado que serviram de base.

A expectativa é que a obra fosse leiloada por valores entre US$ 7 mil e US$ 10 mil. Entretanto, o Retrato de Edmond Belamy alcançou o incrível preço de US$ 432 mil nas negociações efetuadas pela Christie, uma tradicional casa de leilões de arte situada em Nova Iorque.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O Retrato de Edmond Belamy foi inteiramente criado por um algoritmo (Imagem: Divulgação / Christie)

“A Inteligência Artificial é apenas uma das várias tecnologias que terão impacto no mercado de arte do futuro — embora seja muito cedo para prever quais seriam essas mudanças”, avaliou Richard Lloyd, organizador da venda e especialista da Christie.

Observe que até mesmo a assinatura da peça traz o lembrete da natureza não-orgânica nas artes plásticas:

A assinatura da obra é, literalmente, um algoritmo de IA (Imagem: Divulgação / Obvious)

Fonte: BBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

via Canaltech

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *