PCs com chip ARM e Windows 10 ganharão Chrome em meados de 2019

Uma das novidades do mercado de computadores é o lançamento de PCs com processadores ARM da Qualcomm. Empresas como HP, Asus e Lenovo já lançaram seus modelos mais baratos e com baterias mais longas, rodando Windows 10. Embora bem recebidos no mercado, os aparelhos foram criticados pela falta do Google Chrome, atualmente o navegador mais utilizado do mercado.

A novidade agora é que executivos da Qualcomm anunciaram que o navegador da Google deve chegar a estas máquinas já no próximo ano. O problema é uma incompatibilidade de bits do navegador. Atualmente, ele é construído apenas em Win32, sendo que os processadores da Qualcomm em ARM funcionam em 64-bits. Resultado: para rodar o Chrome nos compoutadores com este processador é preciso emular o app, o que o torna mais lento do que o Edge, da Microsoft.

Em entrevista ao Android Authority, o diretor de produtos da Qualcomm, Miguel Nunes, disse que o navegador deve chegar aos aparelhos em 2019. ”Nós ainda estamos trabalhando com fabricantes e arquiteturas. Eu acredito que vocês verão isso provavelmente perto da segunda metade do ano que vem. Cada fabricante vai decidir qual será a sua agenda, mas nós vamos ativamente trabalhar nisso”, explica.

O que é o chip ARM?

Este é um tipo de processador mais leve, menor e, por isso, menos potente. Ele tem um tipo diferente de processamento, mas que precisa de uma quantidade bem reduzida de poder de fogo para funcionar.

Geralmente, tais chips era utilizados em tablets e smartphones, mas fora adotado por algumas fabricantes de laptops. Tais chips já foram utilizados em Chromebooks com a ideia de fazê-los mais finos, leves e simples, mas cuja bateria tivesse uma boa durabilidade.

Dessa forma, PCs que utilizam este tipo de chip devem ser voltados a usuários que não precisem tanto de processamento e que consigam estar completamente conectados à internet. Assim, o produto pode vir acompanhado de um SSD de armazenamento reduzido (entre 16 GB e 32 GB), voltado a armazenamento em nuvem. A junção de um chip ARM e um SSD cria um conjunto que pode ser muito mais barato do que a maioria dos computadores de ponta do mercado e que pode suprir a necessidade de pequenas funções, como apenas navegar pela internet ou trabalhar com edição de textos simples.

De quebra, os produtos com chips ARM podem ser também menores, criando verdadeiras versões minis dos PCs. Se vocêr quiser saber mais sobre este tipo de componente, o Canaltech tem uma explicação completa sobre este tipo de processador.

via Canaltech

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *