Bitcoin sofre queda após EUA investigarem possível manipulação de preço

Os EUA estão endurecendo as regras para negociar criptomoedas. Este mês, a CFTC (Comissão de Negociação de Contratos Futuros de Commodities) deixou claro que vai “impedir e prevenir fraudes na oferta e venda de instrumentos digitais”.

Segundo a Bloomberg, este órgão regulador tem dois novos alvos. Trata-se da Bitfinex, uma das maiores casas de câmbio para criptomoedas; e da Tether, que emite uma criptomoeda supostamente atrelada ao valor do dólar.

As duas empresas têm o mesmo CEO. Basicamente, acredita-se que elas ajudaram a inflar o preço do bitcoin — que está sendo negociado em torno dos US$ 10.000 após as revelações.

O caso envolve o conceito de “stablecoin” (moeda estável). Ela tem seu valor atrelado a algo como o dólar ou o euro, para aproveitar os benefícios das criptomoedas sem as variações bruscas de preço.

O tether é uma das principais stablecoins: ele é “100% atrelado a ativos reais em moeda fiduciária em nossa conta de reservas”, afirma a empresa em seu site. “A taxa de conversão é USD₮ 1 [tether dollar] = US$ 1”. Ela diz que o valor total da moeda em circulação é de US$ 2,3 bilhões.

A Tether foi fundada em 2015 por altos executivos da Bitfinex, como revelam documentos vazados do Paradise Papers. Além disso, ambas as empresas têm o mesmo CEO. Elas insistem que são entidades separadas, mas é difícil de acreditar.

O que tudo isso tem a ver com o bitcoin? Tony Arcieri, especialista em segurança digital, revelou algo bombástico este mês: “eu e muitos outros suspeitamos que o tether está sendo usado para efetivamente falsificar centenas de milhões de dólares em valor percebido, que são reinvestidos imediatamente em bitcoin para evitar que ele entre em colapso”.

O economista Nouriel Roubini, professor da Universidade de Nova York, diz o mesmo. “De fato, o tether foi usado para manipular os preços do bitcoin. Sem essa fraude, o preço do bitcoin despencaria em 80%. Órgãos reguladores estão adormecidos ao volante, enquanto US$ 2 bilhões em dinheiro falso foram criados por esta fraude, metade disso desde dezembro.”

Cotação do bitcoin entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018

Além disso, um relatório divulgado este mês alega que o tether “pode ​​não ser cunhado independentemente do preço do bitcoin, e pode ser criado quando o bitcoin cai”. O autor assina o documento apenas com “um hash público de seu nome”, dizendo estar preocupado com reações negativas.

Segundo o relatório, “48,8% da valorização do bitcoin no período estudado ocorreu até duas horas após a chegada de 91 diferentes depósitos da Tether na carteira da Bitfinex”. Isso significa que a Tether estaria inflando o preço do bitcoin. O autor estima que a criptomoeda pode despencar “de 30% a 80%”.

Não seria difícil para a Tether provar que tem bilhões de dólares como lastro para sua criptomoeda: basta fazer uma auditoria. No entano, ela rompeu relações com a empresa de auditoria Friedman LLP.

Em meio a tantas dúvidas, faz sentido que a CFTC tenha intimado a empresa a oferecer explicações. “Nós recebemos rotineiramente pedidos jurídicos de agentes da lei e de reguladores que conduzem investigações”, dizem Bitfinex e Tether em comunicado conjunto. “É nossa política não comentar sobre tais pedidos”.

Com informações: Bloomberg, Mashable.

Bitcoin sofre queda após EUA investigarem possível manipulação de preço

via Tecnoblog

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *