Apple é criticada por empresas de publicidade devido a novo recurso no Safari 11

Para melhorar a experiência do usuário na próxima versão do navegador Safari, a Apple informou que implementará uma nova função conhecida como Prevenção de Rastreamento Inteligente (Intelligent Tracking Prevention, ou ITS), que será liberada para o público mediante ao lançamento das atualizações iOS 11 e macOS High Sierra.

Embora o recurso seja muito interessante para os usuários que estão cansados de receber sugestões de produtos baseados em pesquisas e outras atividades na web, a implementação desta nova função foi duramente criticada por diversas companhias de publicidade.

Para expressar as suas opiniões, seis companhias enviaram uma carta aberta à Apple, alegando que as mudanças do Safari 11 “sabotará o atual modelo econômico da internet”, e que a medida também prejudicará a experiência do usuário com "publicidades genéricas, e menos oportunas e úteis.

"A abordagem unilateral e pesada da Apple é ruim para a escolha do consumidor e ruim para o conteúdo online suportado por anúncios e serviços que os consumidores amam. O bloqueio de cookies dessa maneira ocasionará em um distanciamento entre as marcas e seus clientes, e tornará a publicidade mais genérica, e menos oportuna e útil. Simplificando, as escolhas de cookies orientadas por máquinas não representam a escolha do usuário, elas representam a escolha do fabricante do navegador."

"Como organizações dedicadas à inovação e ao crescimento na economia de consumo, nos oporemos ativamente a ações como essas por empresas que prejudicam os consumidores, distorcendo o ecossistema de publicidade digital e prejudicando suas operações."

A função ITS no Safari limita o compartilhamento de cookies, enviando-o para os sites visitados após 24 horas para garantir que os dados sejam coletados apenas por páginas e serviços acessados com frequência. Ou seja, a mudança não prejudicará gigantes como o Facebook e o Google, mas pode impactar negativamente algumas companhias de publicidade menores.

No site do WebKit da Apple, a companhia explica a implementação do ITS como uma forma de oferecer uma forma de navegação mais segura para conquistar a confiança de seus usuários. Além disso, o Safari 11 também oferecerá uma nova função de bloqueio de reprodução automática de vídeos, algo que também deve chegar ao navegador Google Chrome no ínício do ano que vem.

via Canaltech

Deixe uma resposta