‘Vara de pescar’ encontra DNA humano em cavernas

Muitos sítios arqueológicos têm resquícios da presença humana. Mas poucos têm ossos humanos – e, sem eles, você não consegue analisar o DNA dos homens primitivos para entender como evoluíram. Cientistas alemães têm a solução: uma vara microscópica, que permite coletar fragmentos de DNA humano no chão e nas paredes das cavernas onde vivemos. A SUPER falou com Viviane Slon, do Instituto Max Planck, para entender esse CSI neandertal.

Como funciona a pescaria?
Nós usamos uma isca feita com DNA artificial, compatível com o genoma humano. Qualquer fragmento de DNA que esteja presente nas amostras, e seja parecido com a isca [portanto, humano], irá “grudar” nela e ficar separado para que nós o analisemos.

Parece difícil, como procurar uma agulha no palheiro.
Mais de 80% das primeiras sequências de DNA que nós isolamos não puderam ser identificadas. No máximo 10% das sequências vinham de mamíferos [a esmagadora maioria das amostras de DNA era de micro-organismos, como bactérias]. E, nos lugares em que havia material genético humano, ele era uma parcela ínfima desses 10%.

O que vocês já descobriram?
Em uma caverna na Sibéria, encontramos DNA de neandertais e denisovanos [espécie humana que teria vivido há 400 mil anos] enterrado mais fundo do que qualquer fóssil já encontrado ali. Isso prova que ambos os grupos estiveram lá bem antes do que se pensava.

via Superinteressante

Deixe uma resposta