Superbactéria foi ao espaço – e voltou ainda mais forte

A Nasa desinfeta rigorosamente suas naves, para evitar que bactérias de origem terrestre contaminem outros planetas. Mas não conseguia se livrar da SAFR, e decidiu fazer um teste. Soltou um balão com amostras da bactéria a 32 km de altitude, na estratosfera. A bactéria ficou lá por oito horas, sendo bombardeada por raios ultravioleta e radiação cósmica, e aí os pesquisadores puxaram o balão de volta.

Para surpresa geral, 267 bactérias sobreviveram e sofreram uma mutação que as tornava imunes às condições do espaço.

A bactéria não causa doenças em humanos – a não ser que, um dia, passe por uma mutação que a torne capaz disso.

via Superinteressante

Deixe uma resposta