Bitcoins voltam a cair com temores de novas proibições na China

Após um breve período de alívio, o mercado de Bitcoins voltou a cair nesta quinta-feira (14) após a publicação dos rumores de que o governo da China estaria preparando uma proibição total das criptomoedas no país. As notícias levaram o mercado de uma de suas principais versões a uma redução de mais de 10%, baixa que se estendeu por toda a indústria de dinheiro digital.

Os rumores de um banimento completo das operações na China vieram após o anúncio verbal pelo governo da capital, Xangai, solicitando que casas de câmbio e serviços locais interrompessem as operações com Bitcoins e outras moedas. Por enquanto, se trata apenas de uma recomendação, sem que sanções legais sejam aplicadas aos que decidirem continuar operando com a modalidade. Para analistas, entretanto, é um sinal claro de que muito mais está por vir.

Tanto que, apenas horas depois da divulgação de Xangai, a imprensa chinesa começou a ventilar rumores de que um banimento completo em todo o país estaria prestes a ser anunciado pelos reguladores. As empresas do setor, claro, teriam algum tempo para se adequarem e deixarem o país ou interromperem suas operações por lá, mas, ainda assim, a decisão representa a saída de um dos maiores mercados econômicos do mundo da onda das moedas digitais, uma possibilidade que, sem dúvida, joga a confiabilidade do Bitcoin e relacionados ao abismo.

Não é a primeira vez que as autoridades da China jogam um gigantesco “não” na direção do criptodinheiro. No início deste mês, os órgãos reguladores do país proibiram completamente as ICOs, ofertas iniciais de moedas que eram usadas por casas de câmbio e serviços de investimento como uma forma alternativa de levantar recursos, sem a burocracia de uma negociação de ações. Em vez dos papéis, Bitcoins e outras moedas do tipo eram vendidas a investidores interessados como forma de financiar operações.

Na ocasião, as autoridades afirmaram que essa modalidade de obtenção de investimentos estaria sendo utilizada em esquemas de pirâmide, lavagem de dinheiro e outras atividades ilegais. A suspensão teve efeito imediato e exigiu, ainda, que as empresas que realizaram ICOs no passado devolvam o dinheiro levantado aos investidores, o que gerou ainda mais incertezas devido à flutuação do câmbio das moedas digitais.

Tais atitudes vindas do outro lado do mundo também levaram a uma mudança de discurso no Ocidente, com muitos bancos de investimento recomendando cautela aos clientes – muitos são os mesmos que, apenas há alguns meses, falavam nas Bitcoins com entusiasmo. Mas as palavras mais graves vieram do CEO da JP Morgan, Jamie Dimon, dizendo que as criptomoedas são “uma fraude cuja bolha vai estourar bem em breve”.

No momento em que essa reportagem é escrita, as Bitcoins operam com baixa de 10,8%, valendo US$ 3.452 a unidade. No acumulado do mês, as reduções já são de mais de 25%, longe de ameaçar a valorização experimentada pelos investidores desde o começo do ano, com ganhos acumulados de quase 300%.

via Canaltech

Deixe uma resposta