Canais compartilhados: Slack dá mais um passo para acabar com a cultura do e-mail

Você pode nunca ter ouvido falar, mas aqui no AndroidPIT nós o adoramos muito! Estamos falando do Slack, que segundo a MIT Technology Review, foi uma das 10 inovações de 2016. O software, que tem versão para computador, para Android e também para iOS, já ultrapassou o número de 6 milhões de usuário ativos por dia e, segundo o Recode, 43% das empresas listadas na Fortune 100 já usam o Slack. E isso tudo em menos de 5 anos: o Slack foi lançado em agosto de 2013.

O principal motivo do Slack ser esse sucesso todo é que ele ajuda profissionais como eu e você a substituir aquelas infindáveis trocas de emails por mensagens rápidas em salas de bate-papo, os chamados canais. E, de acordo com o Recode, essa é a novidade que deve fazer o Slack crescer ainda mais. O recurso já está em testes e permite que usuários de Slack compartilhem seus canais com pessoas de fora da companhia e/ou da plataforma.

São os “canais compartilhados”. Ou seja, fornecedores, clientes e parceiros vão poder se comunicar e colaborar mais normalmente dentro de Slack, sem que seja preciso criar contas de convidados para pessoas específicas dentro Slack de uma empresa ou usar outras ferramentas como o malfadado email.

slack app new

Slack tem versão móvel/ © AndroidPIT (captura de tela)

E esse é só um dos vários recursos do Slack. Além disso, ele (eu tenho atualmente quatro Slacks diferentes) permite que o usuário faça upload de imagens e que vincule a um determinado canal documentos e planilhas de aplicações como as do Google Docs, por exemplo. Também é possível pesquisar conversas antigas, favoritar partes da conversa em um canal e até conectar o Slack a outros programas de produtividade como Trello, por exemplo. A versão gratuita (por enquanto) é bastante completa, mas as pagas entregam outras funcionalidades e recursos completos.

Slack: uma das 10 inovações de 2016 segundo o MIT

Mas voltando ao relatório do MIT, o Slack não exatamente novo: esse tipo de programa existe desde 1990, porém, o Slack acertou (e muito) no timing. Isso porque, atualmente, mais pessoas trabalham desde seus dispositivos móveis (eu, também conhecida por a pessoa que escreve matérias em celulares), smartphones e tablets, e em colaboração com pessoas que não estão sempre no mesmo escritório (o chamado home office que eu tanto amo) e ao mesmo tempo (olá, Bruno e Stella). E além de ser muito funcional, o Slack tem uma interface de usuário bem resolvida e, principalmente, bonita, o que para mim é sempre importante. E tem até uma integração com o Giphy para você responder aos colegas com GIFs e quebrar aquele gelo.

Essa informalidade que o Slack proporciona é outro ponto positivo na opinião do MIT. Kristina Lerman, uma especialista em computação social do Instituto de Ciências da Informação Universidade do Sul da Califórnia, observou que as mensagens do Slack tendem a ser curtas e casual, muito mais parecidas com as mensagens de texto que as pessoas trocam pelo celular. Já Gerald C. Kane, professor associado de sistemas de informação do Boston College, também ressaltou no relatório que o Slack funciona com mensagens que todos podem ver em conjunto, permitindo que todos “ouçam o que está acontecendo em uma organização, algo que os pesquisadores mostram que tem impacto direto nos negócios”. E, vamos concordar, e-mails normalmente são mais formais.

slackapp

Olha o Bruno Salutes no Slack / © ANDROIDPIT

Os números do Slack:

  • Mais de 9 milhões de usuários ativos semanais; em janeiro era de 6,8 milhões;
  • Mais de 6 milhões de usuários ativos por dia, ante 5 milhões em janeiro;
  • 50 mil equipes pagas, com 2 milhões de usuários pagos, em janeiro de 38 mil e 1,5 milhões, respectivamente;
  • 43% das empresas clientes são da Fortune 100;
  • A receita anual recorrente é de US $ 200 milhões, em janeiro era de $ 150 milhões.
  • Agora também disponível em francês, alemão e espanhol, com japonês chegando em breve.

 E aí, vai usar o Slack para experimentar? Você ainda usa e-mail no dia a dia?

via Notícias do Android + Análises de Apps – AndroidPIT

Deixe uma resposta