Tenha acesso ao maior acervo de cybercrimes do mundo

O cibercrime é um problema que vem se tornando a cada dia mais perigoso e evoluído. Pensando nisso, a ONU desenvolveu o Repositório da Cibercriminalidade como forma de fortalecer a cooperação internacional a favor da luta conjunta contra o cibercrime.

Atualmente, o repositório é a única ferramenta disponível mundialmente para arquivar leis, casos e as práticas de cibercrimes em um banco de dados disponível para pesquisa. As informações são divididas em tópicos como investigações cibernéticas globais, solicitação de dados de tráfego armazenados, além de incidentes e coletas de tráfego em tempo real.

De acordo com Loide Lungamenti, chefe do UNODC (Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime), o repositório facilita a cooperação internacional, auxiliando as autoridades a identificar as leis de criminalidade aplicáveis em outros locais.

Lungamenti ainda afirma que mais de 80% dos cibercrimes funcionam como uma forma de atividade organizada, como a criação de malwares que exigem um valor em dinheiro para o resgate de informações pessoais. E o perigo não está somente em computadores e dispositivos móveis, mas também em aparelhos IoT (Internet das Coisas), portanto todo cuidado e prevenção é pouco.

Orientando as autoridades de forma correta, o repositório vai permitir a identificação de crimes futuros baseados naqueles que já aconteceram. Assim, será mais fácil saber como agir e as decisões certas a serem tomadas na hora de se prevenir.

O Repositório pode ser acessado aqui.

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta