Os louva-a-deus estão devorando cérebros de pássaros pelo mundo

Embora seu nome possa indicar uma vida beata, o comportamento dos louva-a-deus na natureza não tem nada de cristão. Fazendo valer a lei do mais forte, eles costumam ser implacáveis em sua busca por alimento. Caçadores pacientes, esses insetos sabem o momento certo para atacar a presa com suas mandíbulas potentes e deixá-las imóveis com ajuda das patas serrilhadas. Embora seu prato preferido sejam os insetos, sabe-se que eles conseguem dar conta também de pequenos roedores e até pássaros.

Para esses últimos, inclusive, a vida não anda nem um pouco fácil. Embora tomada até então como uma prática pouco frequente, um estudo registrou 147 ocorrências da morte de pássaros nas garras de insetos louva-a-deus. Os registros vêm de treze países, de seis continentes diferentes. Segundo o trabalho, publicado no periódico Wilson Journal of Ornithology, 12 espécies de louva-a-deus predaram 24 tipos de aves diferentes – beija-flores, em sua maioria.

Essa seria apenas uma estatística animal não fosse a forma bizarra como a matança acontece: no melhor estilo apocalipse zumbi, eles atacam e consomem os cérebros das aves, violando seus corpos inanimados. Após vencer a luta com o pássaro, o inseto o segura de cabeça para baixo – posição perfeita para dar início ao ritual macabro.

“Eles acessam a cavidade craniana perfurando um dos olhos, e então, se alimentam de seus cérebros. Encontramos diversos registros dos insetos comendo a cabeça dos pássaros, e em pelo menos duas ocasiões, o louva-a-deus cortou a cabeça da presa quando terminou”, detalham os pesquisadores em um trecho do estudo, destacado pelo site Motherboard.

Além de descrever o crime, o estudo traz também outras descobertas interessantes. A espécie que se mostrou mais assassina (assinando 25 óbitos) foi a Tenodera sinensis, nativa da China e bastante encontrada no noroeste dos EUA – onde foram registradas a maioria das mortes. A maioria dos louva-a-deus identificados eram fêmeas, com tamanho médio de seis centímetros. A variedade de pássaro que mais foi vítima, por sua vez, foi a de beija-flor de pescoço vermelho (Archilochus colubris).

Apesar da pesquisa focar nas presas emplumados, os pesquisadores observaram uma boa variedade do cardápio desses insetos. Além dos tradicionais roedores, sapos, lagartos, salamandras (alguns deles venenosos), uma pequena tartaruga e um morcego pequeno também foram vítimas dos louva-a-deus. Isto é que se chama instinto assassino.

via Superinteressante

Deixe uma resposta