Ações do Snapchat despencam após má avaliação da Morgan Stanley

Snapchat

Mais problemas para o Snapchat, que está vendo suas ações amargarem uma baixa de mais de 6% nesta terça-feira (11), depois de a Morgan Stanley rebaixar sua avaliação de mercado. A semana já tinha começado triste para a rede social, que viu seu valor, pela primeira vez, ficar abaixo daquele negociado na abertura de seu capital, em março.

A coisa fica ainda pior quando se leva em conta que a companhia se aproxima do fim de seu período de lock-up, que se encerra em 29 de julho. Até a data, os donos de cotas originais da empresa, prévias à abertura das ações, não podem vender suas participações como forma de evitar fraudes ou problemas de liquidez. A visão, então, seria de que eles sairão desse barco assim que for possível.

No momento em que essa reportagem é escrita, as ações do Snapchat eram negociadas a US$ 15,92, em baixa contínua que coloca o valor cada vez mais abaixo daquele fixado inicialmente no IPO, que era de US$ 17. Para a Morgan Stanley, há pouca perspectiva de recuperação, com o valor ideal também sendo reduzido de US$ 28 para US$ 16.

A conclusão da empresa de análises de mercado se torna ainda mais negativa quando se lembra que foi a própria Morgan Stanley uma das contratadas para trabalhar no IPO do Snapchat. Ao baixar a recomendação das ações, a companhia demonstra falta de confiança sobre sua recuperação, o que, claro, resulta em uma fuga de investidores e baixa nos valores das cotas.

Mais pancadas vieram na análise que acompanhou a redução, com o analista Brian Nowak afirmando que a empresa estava errada quanto à capacidade de inovação e, principalmente, monetização da rede social. Para o especialista, a companhia do fantasminha ainda precisa deixar a fase “experimental” e trabalhar melhor com as verbas de publicidade de forma a aumentar os ganhos e o interesse do público.

A Goldman Sachs, outra empresa que também trabalhou ao lado do Snapchat na abertura de capital, ainda mantém sua visão positiva sobre os papéis. Eles ainda são citados como uma boa opção de compra para os investidores, com um valor ideal de US$ 27, também inalterado. Tudo isso, claro, pode mudar a qualquer momento.

Após uma oferta de compra recusada pelos fundadores, o Snapchat acabou sofrendo forte pressão do Facebook, que incluiu funcionalidades semelhantes às da rede social não apenas na plataforma em si, mas também em outros aplicativos como o Instagram e o Messenger. Por mais que permaneça popular entre os jovens, a plataforma vem tendo dificuldades em manter o ritmo de crescimento e, principalmente, faturamento.

Isso também se reflete em uma alteração nas expectativas de ganhos, também feita pela Morgan Stanley. A companhia reduziu em 6,9% a previsão de faturamento do Snapchat, com um total de US$ 897 milhões. Caiu também a perspectiva com relação ao total de usuários diários, que em 2017, deve ser de 182 milhões, uma baixa de 1,6%.

Fonte: Reuters

via Canaltech Corporate

Deixe uma resposta