Uber afirma que ex-engenheiro roubou arquivos, sim – mas com um porém

Depois de um bom tempo na política do “não foi bem assim”, a Uber finalmente afirmou que, sim, Anthony Levandowski – ex-engenheiro da Waymo que foi contratado para trabalhar na iniciativa de direção autônoma da plataforma de ride sharing –, roubou arquivos da Google.

E engana-se quem pensa que foi um mea culpa: foi mais um homicídio profissional. Isso porque, em documentos que foram acrescentados ao processo judicial que está correndo entre as duas companhias, a Uber abriu em detalhes sobre como a contratação de Levandowski aconteceu.

Anthony Levandowski, o pivô da crise entre Waymo e Uber

O principal ponto levantado pela companhia é que, apesar de terem sido roubados, os arquivos nunca foram utilizados. Mais do que isso, na verdade, elas foram baixadas por Levandowski por conta de um bônus de US$ 120 milhões que supostamente foi prometida a ele pela Google e que não foi paga por completo.

“De fato, há uma ausência notável de evidência para suportar a teoria da Waymo sobre o caso de Levandowski ter roubado 14 mil arquivos para trazer ou usar na Uber”, explicou a empresa no seu adendo.

“Pelo contrário, as evidências mostram que ele fez isso por razões não relacionadas a seu trabalho na empresa – especificamente, em conexão com um pagamento de um bônus de US$ 120 milhões da Google, sendo que R$ 50 milhões desse montante estavam disponíveis em Outubro de 2015, mas não foi pago até 31 de dezembro do mesmo ano – e que Levandowski está se apoiando na Quinta [emenda] por conta da exposição potencial relacionada a esta conduta”.

O tiro final foi bem claro: “Em outras palavras, mesmo que Levandowski tenha feito o que a Waymo diz que ele fez, ele fez como um funcionário da Google, por razões relacionadas ao seu emprego na Google e não com sua futura contratação feita pela Uber”.

A Waymo, por sua vez, insiste que a plataforma de ride hailing é culpada, uma vez que os arquivos foram parar lá dentro e, supostamente, foram utilizadas no programa de direção autônoma da empresa.

A novela parece cada dia mais longe de chegar a um fim.

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta