Startup aposta em robô pizzaiolo para melhorar serviço

Zume Pizza

Já pensou em comer uma pizza preparada por um robô? Pois este é o conceito da startup Zume Pizza, localizada no Vale do Silício e que tem investido nessas máquinas para preparar pizzas deliciosas de maneira automatizada. A ideia da empresa é fazer com que os robôs ocupem o lugar dos funcionários humanos em tarefas rotineiras e tediosas, realocando as pessoas para tarefas em que elas realmente são necessárias.

De acordo com a CEO da Zume Pizza, Julia Collins, a estratégia passou por identificar "lugares onde humanos estavam sobrecarregados fisicamente, entediados ou em funções que não eram seguras, como colocar a mão em um forno aceso a 315°C durante seis horas por dia". Collins ainda explica que o objetivo da startup "nunca foi ter uma automação de ponta a ponta"."Como podemos ter uma operação de produção de pizza que não tem humanos? Nosso melhor spinner de pizzas está muito feliz em trabalhar em nossa seleção de menu e ingredientes", brincou.

Doughbot, um dos robôs da empresa, consegue abrir uma massa cinco vezes mais rápido do que qualquer profissional humano, tornando o trabalho da companhia, além de mais seguro, mais eficiente e rápido. Outros dispositivos adotados pela startup permitem que as pizzas recebam exatamente a mesma quantidade de molho e de outros ingredientes, evitando desperdícios e mantendo todas as pizzas no mesmo padrão gastronômico.

Para melhorar a eficiente no trabalho, a Zume Pizza também investiu em um carro que permite que as máquinas cozinhem centenas de pizzas de maneira simultânea, enquanto são conduzidas até seu destino. Desse modo, as pizzas podem ser entregues menos de 20 minutos depois de o pedido ter sido feito através do site ou do aplicativo da empresa.

"Usamos também a tecnologia preditiva para fazer apostas de alta fidelidade sobre quais pizzas as pessoas vão pedir" explica Collins. "No início da manhã, produzimos um inventário diário de pizzas. Prevemos o volume total de pizzas e os tipos de pizzas que precisamos para satisfazer a demanda desse dia". Essa tecnologia permite que a empresa evite preparar pizzas que não serão vendidas, além de dispensar a necessidade de servir refeições pré-cozidas como acontece em franquias de fast food.

Fonte: The Verge

via Canaltech

Deixe uma resposta