Canon anuncia 6D Mark II e prova que suas DSLRs são boas em tudo, menos 4K

Da mesma forma como a Apple lança versão “s” de seus celulares para detonar um aparelho com melhorias em cima do projeto original, a Canon também trabalha com diferentes edições de suas câmeras digitais de ponta – ainda que com um intervalo maior do que os gadgets da Maçã. Com isso, quatro anos depois da chegada da sua “acessível” EOS 6D, a fabricante japonesa acaba de anunciar a EOS 6D Mark II, uma evolução substancial da antiga DSLR.

As mudanças são muitas e quase todas para melhor: a conectividade do equipamento ficou bem mais ampla, a resolução aumentou, o autofoco está muito mais rápido e preciso, as fotos em baixa estão mais nítidas e a pegada e leveza da máquina foi aperfeiçoada na medida certa. O destaque do kit, no entanto, fica para o novo sensor do produto, que, aliado ao processador de imagens Digic 7 consegue oferecer mais poder de fogo e qualidade aos fotógrafos e entusiastas.

Máquina quase perfeita

O conjunto é capaz de registrar cenas em 26,2 megapixels – 30% a mais do que o modelo anterior –, consegue fazer 6,5 cliques por segundo o modo contínuo e tem um buffer que aguenta até 150 fotos em JPG e 21 em RAW caso você segure o dedo no botão do disparador para capturar uma sequência ou momento perfeitos. Segundo a Canon, também não é preciso se preocupar com imagens borradas ou objetos fora de foco com esse monstrinho, já que os 45 pontos de autofoco – agora com tecnologia dual-pixel – são bem mais velozes e eficiente que na encarnação anterior da câmera.

Há opções de pareamento e sincronia por meio de Bluetooth 4.0 e NFC

Outras melhorias bem interessantes trazidas pela 6D Mark II são: o novo ISO padrão máximo, que salta de 25.600 para 40.000 – com esse valor podendo ser expandido via software para 102.400; um display articulado na traseira do equipamento, oferecendo tanto mais praticidade para selfies e fotos em ângulos mais altos e baixos quanto opções de foco e disparo via toque na tela; e, por fim, companheiros de peso às conexões sem fio do brinquedinho, trazendo além do tradicional WiFi integrado opções de pareamento e sincronia por meio de Bluetooth 4.0 e NFC.

E lá vem a decepção!

Mesmo com todos esse atributos, uma construção robusta – com proteção avançada contra água e poeira – e um precinho “ok”para uma full-frame de entrada, a EOS 6D Mark II pode deixar alguns dos consumidores da marca bem chateados com a Canon. Isso porque a empresa decidiu mais uma vez não se render aos encantos do 4K fora de sua linha 5D Mark IV e fez com que o novo modelo da 6D continuasse a gravar apenas vídeos em 1080p a 60 quadros por segundo.

Ok, o novo modo Full HD da DSLR traz a opção de HDR a 30 fps, mas isso não é o bastante para uma boa parte do público. Além disso, em uma época que muitas câmeras mirrorless, compactas e até de celular conseguem capturar tranquilamente imagens em 4K, é complicado dizer para seus usuários que eles devem comprar um dispositivo de cerca de US$ 3,5 mil (R$ 11,5 mil) para ganhar o recurso. Um aparelho de US$ 2 mil (R$ 6,6 mil) bem que poderia vir com o Ultra HD nativo, hein, Canon?

Kit completo pode chegar perto dos US$ 3 mil

Ignorando os cinegrafistas que utilizam esse tipo de máquinas para fazer as suas filmagens, a fabricante disse que a maioria dos fotógrafos só publicam vídeos em 1080p e que eles acharam que os arquivos 4K são muito pesados, por isso resolveram que essa era uma funcionalidade desnecessária. Seja como for, a EOS 6D Mark II vai ser colocada à prova muito em breve, já que ela está programada para chegar ao mercado internacional até o final do mês de julho.

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta