Asus anuncia placas de vídeo para minerar criptomoedas

Quando as criptomoedas ganharam os noticiários, muita gente já estava usando computadores com GPUs poderosas apenas para minerar bitcoins. Eis que a indústria decidiu explorar esse nicho: a Asus está lançando placas de vídeos desenvolvidas especialmente para mineração.

Esses lançamentos estariam sendo facilitados porque, aparentemente, AMD e Nvidia estão de olho nesse mercado, embora ambas não confirmem. Isso sugere que, sim, outros fabricantes podem lançar placas de vídeo com o mesmo objetivo — a Sapphire também anunciou produtos similares recentemente.

Asus Mining P106

Asus Mining P106

No caso da Asus, são duas placas. Uma delas é a Mining RX 470, que vem com GPU AMD. O dispositivo tem 2.048 stream processors e clock de 926 MHz (1,2 GHz em boost), além de 4 GB de memória GDDR5 com interface de 256 bits e frequência de 7 GHz.

A segunda placa é a Mining P106, com tecnologia da Nvidia (é quase uma GeForce GTX 1060). Estas são as especificações: 1.280 núcleos CUDA, clock de 1,5 GHz (1,7 GHz em boost), 6 GB de GDDR5, interface de 192 bits e frequência de memória de 8 GHz.

De acordo com a Asus, as duas placas foram desenvolvidas para trabalhar ininterruptamente por longos períodos. Para isso, ambas contam, por exemplo, com um par de coolers projetados com mecanismos de fricção reduzida e rolamentos de dupla esfera que, como tal, têm durabilidade até duas vezes maior que coolers tradicionais.

Asus Mining RX 470

Asus Mining RX 470

Os dois lançamentos contam ainda com certificação IP5X, que assegura que os coolers têm mais resistência à poeira, mesmo em condições de uso contínuo.

Outro destaque dado pela Asus é a compatibilidade das duas placas com o GPU Tweak II, software que permite ao usuário fazer ajustes rapidamente em parâmetros como frequência e tensão.

Na comparação com placas de vídeos não desenvolvidas com foco em mineração de criptomoeda, a Mining P106 pode obter desempenho até 36% superior na geração de mega hashes, nas palavras da Asus. Mesmo assim, fica a dúvida se esse tipo de produto é viável, principalmente se levarmos em conta que minerar bitcoins (ou outras moedas digitais) não é tão simples assim.

Ao contrário da RX 470, a Mining P106 não tem conexões para vídeo

Ao contrário da RX 470, a Mining P106 não tem conexões para vídeo

Talvez — e apenas talvez — ambas as placas possam valer a pena para quem já faz mineração e busca formas de baixar gastos. Os preços não foram divulgados, mas, teoricamente, os dispositivos custarão menos que placas de vídeo convencionais.

Tanto a Mining RX 470 quanto a Mining P106 chegarão ao mercado em julho. Ainda não há informação sobre disponibilidade no Brasil.

Asus anuncia placas de vídeo para minerar criptomoedas

via Tecnoblog

Deixe uma resposta