Óculos VR com resolução igual à do olho humano podem estar chegando por aí

O headset funciona com nada menos que 70 megapixels, enquanto que os líderes do mercado nessa categoria trabalham com ‘apenas’ 1,2 megapixels

Uma desconhecida empresa finlandesa chamada Varjo surpreendeu o mercado de tecnologia ao apresentar um dispositivo de realidade virtual e aumentada com resolução assustadoramente alta. Trata-se do 20/20, um par de óculos VR que promete entregar uma resolução similar à da visão humana, ou seja, muito maior do que o que podemos encontrar hoje em dia por aí.

O headset funciona com nada menos que 70 megapixels, enquanto que os líderes do mercado nessa categoria, como o Oculus Rift e o HTC Vive, trabalham com “apenas” 1,2 megapixels. Vale lembrar que esse valor de megapixels indica, sim, uma nitidez maior na imagem, mas não significa que obrigatoriamente o dispositivo vai oferecer uma maior qualidade em tudo. Para entender um pouco o papel dos megapixels, acesse este link e este link.

Diferença de resolução do Oculus Rift para o dispositivo da Varjo

Copiando a capacidade humana

Para atingir esse nível de resolução a Varjo utiliza uma tecnologia própria que teria sido criada por ex-funcionários de empresas como a NVIDIA, a Nokia, a Microsoft, a Intel e a Rovio. A plataforma seria capaz de aplicar nas imagens que seriam transmitidas nos óculos uma qualidade de nitidez muito próxima daquela que o olho humano é capaz de informar ao cérebro.

Enquanto diversas imagens eram cristalinas no aparelho finlandês, o Oculus Rift teve dificuldade na hora de exibir detalhes diminutos

Alguns detalhes foram esclarecidos pela empresa finlandesa: apesar da altíssima resolução de 70 megapixels ser possível, ela é aplicada apenas na imagem que o usuário está diretamente focado. Outras partes do que pode ser visto apenas perifericamente não vão apresentar essa mesma qualidade, pois não faria realmente muita diferente para quem vê.

Outra coisa é que o ângulo de visão do 20/20 é o mesmo que dos dispositivos atualmente no mercado: 100 graus, algo também próximo do que o ser humano é capaz de ver a olho nu. Em um evento em Nova York, a Varjo pôde mostrar as diferenças entre seu dispositivo e o Oculus Rift. Enquanto diversas imagens eram cristalinas no aparelho finlandês, o Oculus Rift teve dificuldade na hora de exibir detalhes diminutos.

Diferença de resolução do Oculus Rift para o dispositivo da Varjo

Próximos objetivos

Com esse primeiro passo concluído, a Varjo agora precisa cuidar de outros aspectos muito importantes nos óculos VR, como a quantidade de quadros por segundo que é capaz de transmitir e a produção de todo esse conteúdo em qualidade mais alta. Seja como for, como a própria empresa afirmou, o 20/20 avança cerca de 10 anos em tecnologia quando comparado com o que há de mais avançado no mercado.

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta