Microsoft interrompe venda online de smartphones Lumia

lumia650

Por mais que não fale sobre seu posicionamento quanto a sua própria linha de smartphones, a Microsoft continua dando indicações cada vez maiores de que deseja se afastar desse mercado. Em um novo ato que dá todas as pistas sobre isso, a companhia removeu as páginas de celulares da linha Lumia de sua loja online nos Estados Unidos no último fim de semana.

Um movimento semelhante já havia sido realizado há alguns meses no e-commerce europeu, e agora chega também ao mercado norte-americano. Com isso, comprar aparelhos por meio das mãos da própria Microsoft passa a ser impossível, com os dispositivos apenas disponíveis por meio de lojas de operadoras e parceiros.

A empresa não se pronunciou sobre o assunto e também evita dar um posicionamento sobre sua linha com Windows Phone, deixando seus usuários completamente na incerteza. Enquanto isso, companhias como HP e Alcatel continuam com pequenas apostas na plataforma, com dispositivos como o Elite X3 e o Idol 4S, respectivamente, ainda vigentes e sendo vendidos em mercados como Estados Unidos e Europa. Apesar disso, esses são praticamente os únicos dispositivos amplamente disponíveis para quem estiver em busca do sistema operacional.

Enquanto isso, aparelhos chegaram a ser cancelados quando poderiam representar, pelo menos, uma tentativa de lançamento de topos de linha no mercado. É o caso, por exemplo, do Lumia 960, vulgo Northstar, que estava em desenvolvimento mas acabou sendo descartado pela Microsoft. Ele teria CPU Qualcomm 820 e tela de resolução QHD, além de chamar a atenção pelo corpo de metal e potentes alto-falantes na parte da frente.

Enquanto isso, a tendência parece ser cada vez menos pelo lançamento até mesmo de novas versões do próprio sistema operacional, com a Microsoft focando apenas em atualizações de segurança de forma a não deixar desprotegida sua minúscula, porém fiel, base de utilizadores. O Windows 10 Mobile representa menos de 0,1% de todo o mercado de smartphones no planeta.

A Microsoft não se pronunciou sobre a remoção dos aparelhos de sua loja online.

Fonte: Sapo.pt

via Canaltech

Deixe uma resposta