Netflix cria restrições para download de conteúdo

Netflix

A funcionalidade de baixar shows e filmes da Netflix para visualização offline foi bastante comemorada pelos usuários, mesmo que nem todos os títulos disponíveis na plataforma fizessem parte dela. Agora, a plataforma aplicou uma série de novas restrições relacionadas à funcionalidade, como forma de atender aos diferentes acordos de licenciamento, principalmente com distribuidores externos.

As mudanças não se aplicam a todos os conteúdos disponíveis no serviço e podem variar entre eles. Alguns filmes, por exemplo, contam com um limite de download, que não é informado ao usuário, que pode se ver impedido de baixar o título novamente caso deseje. Em outros casos, há restrições relacionadas a contas secundárias.

Mas na alteração de política mais estranha, usuários podem se ver obrigados a realizarem o login na Netflix mesmo estando desconectados, o que os obriga a terem uma conexão, mesmo que momentânea, com a internet. E, para piorar, em alguns casos, conteúdos podem ter licenças que “expiram”, obrigando o download novamente caso passe algum tempo – mais uma vez, não informado – desde que ele foi realizado.

Una as duas restrições e temos um problema em potencial para os usuários que fazem uso do recurso. Imagine que aquela série que você tanto assiste, em determinado momento, não possa mais ser baixada pois o total de downloads permitidos expirou, ao mesmo tempo em que o período pelo qual ele pode permanecer armazenado no dispositivo também chegou ao fim. Os assinantes, dessa maneira, ficam restritos apenas à visualização online, algo que não deve agradar em nada.

Por outro lado, as medidas vêm para conter um problema que foi identificado pela Netflix logo nos primeiros dias após a liberação do download. Muita gente começou a realizar a assinatura do serviço – que dá direito a um mês gratuito para testes antes do início das cobranças – e baixar diversos conteúdos, cancelando o pagamento na sequência, mas ainda acessando as séries e filmes em modo avião. A necessidade de login periódico vem para conter o mau uso, pois uma vez identificado o status da conta, tudo o que foi baixado deixa de funcionar — ou não, caso esteja tudo bem.

As novas medidas não foram anunciadas abertamente pela empresa, mas aparecem em atualizações nas seções de ajuda da Netflix. O maior problema, aqui, deve ser a falta de informação, já que quase ninguém deve navegar com frequência por esse espaço e, mais do que isso, não terá acesso a contadores e esclarecimentos sobre as normas nas páginas dos conteúdos.

Fonte: Phandroid

via Canaltech

Deixe uma resposta