Amazon anuncia compra da Whole Foods e reforça ideia de varejo físico

Amazon e Whole Foods Market

A Amazon informou nesta sexta-feira, 16, que irá comprar a rede de supermercados Whole Foods Market por US$ 42 por ação. A operação chega aproximadamente a US$ 13.4 bilhões, incluindo a dívida líquida da companhia. A novidade reforça a ideia de um plano ambicioso da Amazon em expandir além do varejo online.

Segundo o New York Times, a empresa de Jeff Bezos está construindo lentamente sua rede física de lojas, impulsionado pela AmazonFresh, serviço de entregas de comidas. Recentemente, a Amazon abriu em Seattle dois drive-through para clientes resgatarem as encomendas que fizeram online. A companhia também abriu algumas pequenas livrarias pelos Estados Unidos.

Sendo assim, para gigante online, o acordo será um forte empurrão para se tornar uma grande rede de supermercados, um segmento que representa cerca de US$ 700 a US$ 800 bilhões de vendas anuais nos Estados Unidos. A empresa também estaria ampliando a concorrência com o Walmart, que tem se esforçado para vencer a gigante no mundo digital.

A Whole Foods Market possui mais de 460 lojas nos Estados Unidos, Canadá e Grã-Bretanha com vendas próximas a US$ 16 bilhões no último ano fiscal. “A aquisição Whole Foods Market proporciona a possibilidade de estar em mais locais fisicamente. Eles estarão entre 1 hora ou 30 minutos de quase qualquer pessoa”, ressalta Mikey Vu, sócio da consultoria Bain & Company.

Para a Whole Foods Market, no entanto, a venda representa uma chance de evitar a pressão de investidores frustrados pela lentidão do crescimento das ações. No mês passado, a rede de supermercados revisou todo seu conselho, substituindo cinco diretores, nomeando uma nova presidente e trazendo outro diretor financeiro. A empresa também apresentou planos para reduzir custos e melhorar as operações.

“Trata-se de uma oportunidade para maximizar o valor dos acionistas da Whole Foods Market, ao mesmo tempo que amplia a nossa missão e eleva a qualidade, experiência, conveniência e inovação aos nossos clientes”, comentou John Mackey, co-fundador da Whole Foods Market e presidente da companhia.

A oferta de US$ 42 por ação representa um prêmio de 27% em relação ao preço de fechamento da Whole Foods na quinta-feira, 15. A negociação das ações da Whole Foods Market foi interrompida a US$ 32,77 no pré-mercado, enquanto as ações da Amazon subiam 0,5 por cento, a 969 dólares. Excluindo dívida, o acordo estaria avaliado em 13,39 bilhões de dólares, com base em 318,9 milhões de ações diluídas em circulação até 9 de abril.

Detalhes da aquisição

A Amazon informou que a Whole Foods Market continuará a operar lojas com a marca e também manterá a sua rede de fornecedores e parceiros. John Mackey continuará como presidente da companhia e a sede permanecerá em Austin, no Texas. Não houve nenhum comentário oficial sobre como a Amazon planeja usar sua tecnologia para melhorar as lojas da rede de supermercados.

A conclusão da transação está sujeita à aprovação dos acionistas da Whole Foods Market. Também dependerá da aprovação de órgãos regulatórios e outras condições habituais de fechamento. A expectativa da Amazon é concluir a operação no segundo semestre deste ano.

A Whole Foods Market terá que pagar uma taxa equivalente a US$ 400 milhões como taxa de rescisão se não sair o acordo de incorporação da companhia à Amazon.  A empresa também terá que pagar a taxa de rescisão caso o conselho de administração mude sua recomendação para que os acionistas aceitem a proposta ou se a empresa aceitar uma proposta alternativa de venda de subsidiárias.

De acordo com Richard Kestenbaum, colunista da Forbes, não está claro se a aquisição da Whole Foods Market pela Amazon será bem sucedida, mas é fato que chegou a hora da gigante online se estabelecer fisicamente pelo país. Para ele, será interessante ver as empresas interagindo e oferecendo produtos de diversas maneiras ao mesmo tempo. “Nem tudo o que a Amazon fez deu certo, mas se existe alguma empresa que pode fazer esta sinergia online e offline dar certo, esta empresa é a Amazon”, concluiu.

Sobre a Whole Foods Market

A Whole Foods Market foi criada em 1980 em uma pequena loja em Austin, no Texas, por quatro empresários locais. O objetivo da cadeia é vender produtos frescos, orgânicos e que não incluam ingredientes artificiais. Eles apostam na qualidade e na redução dos impactos ambientais, além da agricultura sustentável e alimentação saudável. Em 2016, a Whole Foods Market alcançou um volume de vendas de US$ 16 mil milhões.

Com informações da Forbes, New York Times, Reuters e Valor Econômico.

via Canaltech

Deixe uma resposta