O conselho de Mark Zuckerberg para recém-formados

Dez anos depois de ter largado a Universidade de Harvard para se dedicar ao Facebook, Mark Zuckerberg finalmente recebeu seu diploma. Durante a cerimônia de entrega de certificados dos alunos da instituição na última quinta-feira, ele fez um discurso aos recém graduados sobre o que eles devem buscar não só em suas carreiras, mas na construção da sociedade. 

Zuckerberg falou sobre propósito. O tema não poderia ser mais relevante, num momento em que o mercado profissional passa por um movimento de mudanças. Sucesso deixou de estar atrelado apenas a ganhos financeiros e passou a definir também o sentido de um trabalho, uma empresa e uma carreira. Veja abaixo o vídeo com o discurso completo em inglês.  

Não é suficiente ter propósito apenas para você. Você tem de conseguir criar um senso de propósito para os outros

O CEO da rede social afirmou que as pessoas precisam se sentir inspiradas por algo maior do que elas mesmas para que a sociedade funcione melhor. “O propósito é o que cria a verdadeira felicidade”, disse. “Para a nossa sociedade continuar seguindo em frente, nós temos um desafio geracional de não apenas criar empregos, mas de criar um senso de propósito. Nós temos de criar uma sociedade que meça o progresso a partir de quantos de nós tem um papel que realmente acreditamos ser relevante.” 

Na visão dele, contudo, propósito não é algo que temos de avaliar olhando apenas para dentro de nós mesmos. “Não é suficiente ter propósito apenas para você. Você tem de conseguir criar um senso de propósito para os outros.” 

Como um exemplo, ele contou sobre quando decidiu não vender o Facebook nos primeiros anos da rede social. Na época, nenhum de seus profissionais mais estimados concordou com a decisão. “Depois de um ano ou mais, todas as pessoas em nosso time de gestão haviam deixado a empresa. Esse foi o momento mais difícil para mim no Facebook.” Em um mea culpa, ele explicou que falhou ao não explicar à equipe sua visão de futuro para o negócio. 

Zuckerberg também falou sobre a necessidade de uma rede de proteção social mais forte para as pessoas, como uma maneira de encorajar o empreendedorismo. A verdade é que as pessoas tendem a assumir mais riscos quando o fracasso não é visto como algo catastrófico. “Nossa sociedade é muito apegada à ideia de que você só pode reconhecer alguém quando essa pessoa é bem-sucedida”, disse. Ao mesmo tempo, continuou, é negligente ao não ajudar aqueles que ainda não chegaram lá para estimulá-los a continuar criando inovações.  

VIDEO

via Novidades do TecMundo

Deixe uma resposta