Itaú, Bradesco e Banco do Brasil desistem de conta digital sem mensalidade

Eu sou cliente do Itaú há décadas e, algum tempo atrás, decidi migrar para a iConta. Trata-se de uma conta corrente que não cobra mensalidade e oferece saques ilimitados e transferências ilimitadas por DOC e TED — mas tudo precisa ser feito pela internet ou no caixa eletrônico.

Infelizmente, a iConta não será mais comercializada. Outros bancos, como Bradesco e Banco do Brasil, tinham produtos semelhantes que também foram descontinuados. Escapar das tarifas ficou mais difícil.

A iConta não será mais comercializada após o dia 28 de abril; quem já é cliente não será afetado, e continuará desfrutando dos benefícios. O Itaú avisou isso discretamente, através de respostas a clientes no Twitter, e confirmou a mudança ao Tecnoblog.

Em comunicado, o Itaú justifica a mudança como uma “simplificação” para os clientes:

O Itaú Unibanco informa que suspendeu a comercialização do seu pacote de serviços iConta. A decisão foi baseada em pesquisas internas que apontaram a necessidade de simplificação de sua prateleira de pacotes. Nada muda para quem já possui esse pacote.

Perguntamos se há planos do Itaú para oferecer outro plano digital sem tarifas, mas isso ficou sem resposta. É possível abrir uma conta no banco através de um app, mas nenhuma das opções é gratuita.

Bradesco

O Bradesco, por sua vez, deixou de comercializar a DigiConta em março. Ela inclui saques ilimitados no caixa eletrônico, mais TED e DOC ilimitados via internet ou SMS. Quem já é cliente não é afetado.

No Twitter, o perfil oficial do banco diz que a abertura dessa conta “está suspensa por tempo indeterminado”, mas o produto foi silenciosamente removido do site, e agora mostra uma página de erro. Ele está atualmente na lista de “cestas de serviços descontinuadas”:

Em comunicado ao Tecnoblog, o Bradesco diz que removeu a DigiConta para abrir espaço a “novas frentes de soluções digitais”:

Trata-se de uma decisão comercial em virtude da criação de novas frentes de soluções digitais que estão sendo desenvolvidas pelo banco. O objetivo é continuar atendendo as demandas de nossos clientes com perfil digital. Nada muda para os clientes que já têm a DigiConta.

Banco do Brasil

O Banco do Brasil deixou de comercializar sua conta digital, a BB Conta Eletrônica, em setembro do ano passado. O serviço é isento de tarifas para transações eletrônicas, e continua apenas quem já o possui — cerca de cem mil clientes.

Esse produto foi substituído por outro mais limitado. Em novembro, foi lançada a Conta Fácil BB: ela pode ser aberta através de um app para smartphone, mas não se trata de uma conta corrente — e sim de uma conta de pagamentos.

Ela oferece um cartão de débito Elo e não inclui produtos de crédito (cheque especial, empréstimo pessoal, cartão de crédito) nem de investimentos (poupança, fundos etc.). Além disso, ela tem limite de movimentação mensal de R$ 5.000; caso isso seja ultrapassado, a conta é permanentemente bloqueada e você precisa alterá-la para uma conta corrente tradicional.

Há duas modalidades: a Gratuita, sem cobrança de tarifas; e a Bônus, com mais saques e extratos, que custa R$ 9,90 mensais — a tarifa pode ser convertida em bônus para celular pré-pago. Em janeiro, a Conta Fácil BB já tinha 350 mil clientes.

Raul Moreira, vice-presidente de negócios de varejo do banco, disse à Folha no ano passado que “não existe na estratégia do BB criar uma conta corrente gratuita”.

E agora?

Há diversas opções de conta corrente digital — Banco Original, Banco Neon, Santander ContaSuper — mas elas têm limites mensais para saque e transferência via DOC e TED.

A única exceção é o Banco Intermedium, que oferece saques ilimitados na rede Banco 24 Horas, mais TEDs gratuitas. A abertura de conta é feita através de um app; o cartão Mastercard funciona inicialmente apenas como débito, mas você pode solicitar a função crédito (não há cobrança de anuidade).

O Intermedium lista seus motivos para uma isenção total de tarifas: eles exigem poucos recursos físicos para abrir e manter contas, e não têm custo com agências; ganham dinheiro quando você usa o cartão; e consideram a Conta Digital como porta de entrada, como uma forma de atrair clientes para serviços rentáveis como linhas de crédito.

Grandes bancos podem ter desistido de contas correntes gratuitas, mas é bom que ainda exista uma alternativa. Você usa algum pacote bancário sem tarifas?

Itaú, Bradesco e Banco do Brasil desistem de conta digital sem mensalidade

via Tecnoblog

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *