As melhores novidades do Android O

O Google lançou na tarde desta terça-feira (21) uma prévia do Android O, sucessor do Android 7.0 Nougat. Ainda em estágio inicial de desenvolvimento, a próxima versão do sistema operacional móvel já traz boas novidades: ela chega com multitarefa mais econômico, central de notificações mais personalizável e uma série de refinamentos internos.

Menos bateria e mais desempenho

A grande novidade do Android O está no multitarefa, que vai reduzir o consumo de energia de programas que rodam constantemente em background e você nem percebe. Quando você tira uma foto, por exemplo, provavelmente o Google Fotos será acionado para fazer backup na nuvem, talvez um Dropbox ou OneDrive com upload automático também e, para finalizar, um aplicativo de galeria de fotos deve indexar a imagem.

Todos esses processos ativados em série acabam gastando muita bateria, especialmente se não forem otimizados. No Android O, o Google vai impor “limites automáticos” na forma como os aplicativos podem utilizar processamento e recursos de localização em background, diminuindo o gasto de energia e deixando mais memória livre para o usuário utilizar como quiser, o que também deve melhorar o desempenho do celular.

Ainda é muito cedo para falar em números, mas o Google diz que o novo multitarefa é uma “mudança significativa” no Android. Na prática, estamos falando de uma abordagem mais parecida com a do iOS — que sempre impôs limites mais rígidos que o Android no consumo de recursos em background.

Canais de notificações

A central de notificações do Android O será mais personalizável. No Android 7.0 Nougat, já é possível definir um nível de prioridade diferente para cada aplicativo: você pode permitir que o Telegram mande notificações, mas não gere nenhum som ou vibração, e liberar o Inbox para interromper sua concentração mesmo se o Não Perturbe estiver ligado, por exemplo.

Agora, cada aplicativo poderá ter “canais” de notificações. O Google exemplifica o novo recurso com um aplicativo fictício de notícias: você pode optar por receber alertas de notícias de tecnologia na central de notificações, mas bloquear as de política. Analogamente, seria possível permitir que o WhatsApp enviasse qualquer notificação de mensagem individual, mas bloquear todos os alertas de chats em grupo (fica a dica, WhatsApp).

Ícones mais padronizados, finalmente

Uma das primeiras coisas que qualquer usuário de iOS nota ao migrar para o Android é que os ícones são todos bagunçados: um é quadrado, outro é circular, outro é menor, etc. As interfaces de algumas fabricantes tentam “padronizar” os ícones (todos os atalhos na TouchWiz ficam em quadrados arredondados por padrão), mas isso acaba piorando o problema, já que os desenvolvedores não fornecem ícones adaptados.

O Android O vai suportar nativamente os “ícones adaptativos”, que podem ter diferentes formatos em diferentes dispositivos — não apenas no launcher, mas também no menu de configurações e nas janelas de compartilhamento, por exemplo. Além disso, os ícones podem ganhar animações simples, piscando ou girando na tela (espero que os desenvolvedores não abusem disso).

Você também gosta de gerenciador de senhas?

É uma boa ideia utilizar gerenciadores de senhas, mas o funcionamento desses aplicativos não é muito prático no Android: você precisa abrir o 1Password, LastPass, Dashlane ou outra alternativa, tocar no site desejado, copiar a senha para a área de transferência e depois colá-la no formulário de login.

Com a Autofill API, os usuários poderão selecionar um aplicativo de autocompletar quando quiserem preencher um formulário, assim como já é possível escolher um aplicativo de teclado. Você poderá preencher automaticamente um endereço, login ou senha, de maneira segura. Parece que a ideia do Dashlane deu certo!

Picture in Picture e suporte para múltiplas telas

Seguindo os passos do iOS, o Android suportará o recurso de Picture in Picture, isto é, você poderá assistir a um vídeo no YouTube no cantinho da tela enquanto conversa com outra pessoa pelo WhatsApp, por exemplo. O Android 7.0 Nougat ganhou o recurso que permite rodar dois aplicativos ao mesmo tempo, então era questão de tempo até que o PIP também chegasse ao robô.

Ainda falando em vídeo, o Android O será otimizado para múltiplas telas. Isso deve ser útil para quem conecta o smartphone ou tablet a um ou mais monitores externos — você poderá mover um aplicativo entre as várias telas disponíveis, e os aplicativos poderão escolher em qual tela exibirão determinado conteúdo. A primeira coisa que pensei foi em um Continuum para Android. Será?

Som de qualidade

A Sony doou seu codec proprietário LDAC para o Android, o que deve melhorar a qualidade de áudio em fones de ouvido Bluetooth compatíveis. Enquanto o codec padrão transmitia músicas a um bitrate máximo de 328 kb/s e amostragem de 44,1 kHz (qualidade ligeiramente inferior a de um CD), o LDAC chega a 990 kb/s e amostragem de 96 kHz a 24 bits.

O Google também desenvolveu a AAudio API for Pro Audio, que será utilizada especialmente por aplicativos profissionais de som, que exigem áudio de alta qualidade e baixa latência. O Developer Preview traz uma versão inicial da API, que deve ser aprimorada nos próximos meses.

Outros refinamentos

Algumas novidades menores também estarão presentes no Android O:

  • Aplicativos de fotografia e afins poderão aproveitar melhor telas com suporte para ampla gama de cores (se o seu aparelho tiver uma);
  • Melhorias na navegação por teclado físico (as teclas direcionais e o Tab terão comportamentos mais previsíveis);
  • Wi-Fi Aware: permite conexão (e descoberta!) entre dispositivos mesmo que não haja nenhuma outra conexão de auxílio, como Wi-Fi ou celular;
  • WebView com multiprocessos por padrão: vai aumentar a estabilidade dos aplicativos que utilizam o WebView para exibir uma página da web dentro da interface;
  • Suporte a novas APIs do Java e otimizações no Android Runtime (ART), melhorando o desempenho dos aplicativos em até 100%.

Quando chega?

O Google está liberando nesta terça-feira (21) uma prévia do Android O para Nexus 5X, Nexus 6P, Nexus Player, Pixel, Pixel XL e Pixel C, além de emuladores. A empresa destaca em negrito que esta versão é somente para desenvolvedores, e que não deve ser utilizada por consumidores finais ou no dia a dia. Você pode baixar o Android O nesta página.

Um beta público do Android O, mais estável, deve aparecer nos próximos meses — provavelmente na época do evento para desenvolvedores Google I/O, que está programado para acontecer entre os dias 17 e 19 de maio. E quando a versão final chega ao seu aparelho? Ninguém sabe: o Nougat ainda não atingiu nem 3% de penetração.

Será que ele vai se chamar Android 8.0 Oreo? Façam suas apostas.

As melhores novidades do Android O

via Tecnoblog

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *