Funcionários da Uber usavam app para perseguir celebridades e políticos

Segundo Samuel Ward Spangerberg, alguns de seus colegas também usavam o sistema para vigiar ex-namorados, esposos e esposas

Um processo aberto contra o Uber divulgado na última segunda-feira (12) mostra que os usuários do sistema têm bons motivos para se preocupar com sua privacidade. Segundo Samuel Ward Spangerberg, ex-funcionário da companhia responsável pela ação legal, alguns de seus ex-colegas usavam dados obtidos de clientes para perseguir celebridades, políticos, ex-namoradas e ex-namorados.

Segundo Spangerberg, a ação é fruto da “falta total de cuidado” que a empresa tem em relação à proteção de dados de seus consumidores. Segundo ele, a companhia registra informações como nomes de usuários, emails, localizações em que uma pessoa pediu uma viagem, a quantia paga por ela e outras que muitos motoristas desconhecem.

Leia mais…

via Novidades do TecMundo

Publicado por Carlos Trentini

Eu, eu mesmo e eu, agora e nas horas vagas...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *